Carmopolitanos conquistam nível superior com o Bolsa Universitária

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Esmeralda Cruz ao lado José Reinaldo durante a formatura do engenheiro
Esmeralda Cruz ao lado José Reinaldo durante a formatura do engenheiro

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/03/2015 às 00:02:00

No ano de 2010, o carmopolitano José Reinaldo, 33 anos, ingressou em uma universidade particular da capital com um objetivo: se tornar engenheiro civil. Observando o crescimento constante dessa área, ele enxergou uma oportunidade de atuar no segmento.
A missão de José Reinaldo seria mais difícil se ele não fosse cadastrado no programa municipal Bolsa Universitária, criado pela Prefeitura Municipal de Carmópolis no ano de 2009, idealizado pela gestão da prefeita Esmeralda Cruz. O benefício é similar ao Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), mas com um diferencial que o torna único e exclusivo em todo o estado de Sergipe. O universitário cadastrado não precisa pagar nada ao município no final do curso.

Hoje, já formado, José Reinaldo ressalta a importância do programa. "Se não fosse essa ajuda da prefeitura tudo se tornaria complicado para mim. Quando eu explicava o funcionamento do programa aos meus amigos de sala, eles ficavam admirados", revela.
Em forma de agradecimento, José Reinaldo convidou a prefeita Esmeralda Cruz para ser sua madrinha de formatura. Ela prontamente aceitou o convite, participou da cerimônia e declarou: "que se formem outros engenheiros, advogados, nutricionistas, jornalistas, enfim, que a Bolsa Universitária garanta um futuro próspero para a nossa juventude".

Redução - De acordo Maria Lizenilde, coordenadora do programa, cerca de 200 jovens carmopolitanos que já conquistaram o nível superior através da Bolsa universitária. A coordenadora destaca ainda que dependendo do valor do curso, a bolsa poderá ser integral.
Atualmente houve uma redução no número de alunos cadastrados no benefício devido à queda na arrecadação municipal, gerada, principalmente, pelo corte dos royalties pagos pela Petrobras. Porém, mesmo diante das dificuldades enfrentadas pela cidade, a prefeitura decidiu manter o programa.
"Durante esses seis anos que administro Carmópolis sempre priorizei a educação. Com o corte dos royalties, tivemos que parar com diversos programas sociais, mas a Bolsa Universitária eu decidi manter porque mexe com os sonhos da nossa juventude de garantir uma profissão e um futuro melhor", confessa Esmeralda.