Números da educação em Sergipe são estarrecedores, diz Zezinho

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/03/2015 às 10:25:00

O deputado estadual Zezinho Guimarães (PMDB) considerou estarrecedores os números da educação em Sergipe, recentemente revelados pelo secretário da pasta, Jorge Carvalho. "Os dados mostram uma situação alarmante. Temos o pior ensino fundamental do país, com nota 2,7. Dos 75 municípios de Sergipe, apenas cinco conseguiram atingir a meta mínima de qualidade do ensino, medida pelo Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), no ensino fundamental", destacou Zezinho.

Ele citou que, de acordo com os dados apresentados por Carvalho, em 2005, quando começou a avaliação do Ideb, o ensino fundamental sergipano tinha nota 2,9. "Com esse índice, a previsão era chegar em 2013 com nota 3,7. Ao contrário disso, amargamos um 2,7, revelando uma piora considerável do ensino público, num comparativo com 2005. Isso é muito preocupante", enfatizou o parlamentar, citando que, conforme os dados, a rede particular tem o segundo pior ensino fundamental, no ranking nacional, superando apenas o vizinho estado de Alagoas.

Ao destacar a coragem do secretário Jorge Carvalho em apontar os vários problemas da pasta, Zezinho observou que em 2011, a população de analfabetos com 15 anos ou mais correspondia a 16%. Em 2013, subiu para 17%, que corresponde a algo em torno de 290 mil jovens e adultos analfabetos. "Essa tendência de aumento, por mínimo que seja, não se justifica", enfatizou Zezinho.

Outro elemento preocupante diz respeito ao número de analfabetos funcionais. Estudantes que passam de série chegam ao ensino médio e continuam sem saber ler e escrever. "Sem falar que de cada 100 estudante que ingressam no ensino fundamental, uma média de 60 abandonam a escola. "Ou seja, apenas 40 cursam o ensino médio. E por que isso acontece? Precisamos fazer uma reflexão sobre a qualidade do ensino, sobre a realidade das escolas, cujo modelo não é atrativo e não inclui", ressaltou Zezinho, acrescentando que mudar esse cenário é responsabilidade de todos: do governo, do secretário, da escola, dos professores e dos pais.

Para o deputado, o que mais chama a atenção é que a péssima qualidade do ensino não se coaduna com os investimentos feitos ao longo dos anos em educação. "O custo aluno em Sergipe no ensino médio é de pouco mais de R$ 7.938,00. No ensino fundamental esse valor é de pouco mais de R$ 4.186,00. É um custo altíssimo. São valores suficientes para matricular essas crianças e adolescentes em qualquer escola privada de Sergipe", observou o deputado que pretende fazer uma análise cuidadosa de cada item apresentado pelo secretário.