Socorro realiza ação alusiva ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 25/03/2015 às 00:36:00

A Prefeitura de Socorro por meio da Secretaria Municipal de Saúde realizou na manhã de ontem (24) ação alusiva ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A atividade que consistiu numa mobilização ocorreu nas ruas no Mutirão do conjunto João Alves e consistiu na entrega de folhetos informativos e explicações sobre a Tuberculose, além da identificação de possíveis casos da doença.
"A Tuberculose é uma patologia infectocontagiosa transmitida por meio uma bactéria que afeta principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outros órgãos do corpo, como ossos, rins e meninge pelas vias áreas respiratórias. A ação consiste visitar casas para distribuir folhetos e ensinar a população como combater a doença, além de conscientiza-los", explicou a coordenadora municipal de Hanseníase e Tuberculose, Jéssica Ingrid Ramos.
Na ocasião foi realizada a busca-ativa dos sintomáticos respiratórios de Tuberculose. "Tosse frequente, suores noturnos, febre ao entardecer, além da falta de apetite. Esses são sintomas da doença durante ação estamos buscando identificar pessoas que possivelmente estejam com a doença para encaminhar ao serviço de saúde. Vale lembrar que todo o tratamento ocorre de maneira simples nas Unidades Básicas de Saúde e tem a duração de seis meses", acrescentou a Coordenadora.

A ação contou também com a participação de estudantes de enfermagem da Faculdade de Sergipe (FASE). "Esta ação está contribuindo para o conhecimento prático sobre a patologia. Vale lembrar que, os profissionais tem a função de cuidar, mas também de orientar à população para tentar minimizar os riscos de disseminação da doença. Por isso, a importância do momento", ressaltou a estudante de enfermagem, Adailma Lima.
A ação chamou atenção de moradores da localidade. André Firmo aproveitou a ocasião para tirar dúvidas. "Além do folheto, fiz muitas perguntas aos profissionais da saúde. Sobre a transmissão da doença e também sintomas.  No momento, constatei que meu enteado teve sintomas semelhantes ao da doença. Por isso, fui orientado pelas enfermeiras a leva-lo ao posto aqui do Mutirão para saber se realmente ele pode estar com a doença", afirmou.