Procissão do Fogaréu acontece em São Cristóvão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Procissão é uma das maiores de Sergipe
Procissão é uma das maiores de Sergipe

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/04/2015 às 10:39:00

Hoje (2), quinta-feira maior da Semana Santa, acontece, na sede de São Cristóvão, a secular procissão do fogaréu com saída da Praça São Francisco, o cortejo percorre as principais ruas da cidade.  A procissão do fogaréu de São Cristóvão é uma das maiores de Sergipe e do nordeste e mais uma vez contará com o apoio da Prefeitura de São Cristóvão através da Fundação de Cultura e Turismo João Bebe Água (FUNDACT).

 A procissão acontece sempre após a "missa do lava-pés", realizada na Paróquia Nossa Senhora da Vitória, e faz parte do calendário cultural de São Cristóvão desde o século XVIII. Verdadeira alusão a perseguição a Jesus Cristo, o cortejo leva à população sancristovense a maior encenação a céu aberto do município, as luzes do centro histórico são apagadas para que deem lugar a fogaréus e tochas. Esse ano a procissão contará com mais de 200 participantes- entre crianças e adultos- todos do sexo masculino, mulheres não participam da procissão.

 A procissão foi trazida pelos portugueses e passada de geração em geração. No ano de 1963, a procissão foi interrompida por Frei Fernandes. Naquele ano, o então vigário argumentou a interrupção do cortejo em decorrência da não conscientização dos homens que participavam do séquito. Já em 1978, um grupo de homens liderado por Daniel Lima Costa remontou a tradição, após reuniões preparatórias que conscientizavam os presentes sobre a importância e sentido da procissão.

 A prefeitura irá organizar a cidade, cuidando da limpeza das ruas, organização do trânsito além de disponibilizar transporte para os atores que integram o ato da procissão que representa o caminho percorrido por Jesus até o calvário. "A pedido do pároco, vamos ainda solicitar junto a Energisa o desligamento da energia elétrica no trajeto por qual a procissão passa. Daremos todo suporte", relatou a presidente da FUNDACT, Dilene Job.