Secretário-geral pede pressa nas negociações do texto final da conferência

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/06/2012 às 16:30:00

Isabela Vieira
Agência Brasil

Rio de Janeiro - O secretário-geral das Nações Unidas (ONU) para a Rio+20, o embaixador chinês Sha Zukang, voltou a reforçar ontem pedidos para que os representantes dos países responsáveis pelo texto final da conferência acelerem as negociações. Em mais uma cobrança pública, ele disse que o mundo "está de olho" nas decisões da Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável.
"De hoje em diante estamos na reta final. Devemos, drasticamente, acelerar as negociações. O mundo inteiro está nos olhando e não podemos decepcioná-lo", disse Zukang, em entrevista coletiva à imprensa no Riocentro, sede dos debates oficiais da Rio+20.
A declaração foi dada ao abrir, nesta quarta-feira, a terceira e última rodada de negociações do documento final do evento, cujo teor será divulgado dia 22. Antes disso, até a próxima sexta-feira (15), os representantes dos governos devem deixar o texto final alinhavado. A partir dessa data, entram na negociação, com mais força, os chefes de Estado.
"Precisamos de um ambicioso e histórico documento, com um forte compromisso de gerar mudanças globais positivas", disse Zukang. "Vamos usar esses dias finais para transformar nossas aspirações e sonhos em realidade ", completou o secretário-geral .
Para facilitar as negociações da declaração, Zukang explicou que os representantes dos países-membros da ONU dividiram o rascunho final em cinco partes, sob a responsabilidade de dois grupos de discussão. Um deles está a cargo dos mecanismos de implementação de acordos e metas de ação. O outro, com questões relativas à economia verde.
Zukang acrescentou que, enquanto os acordos oficiais não se destravam, ganham força compromissos voluntários por parte de organizações da sociedade, empresários e governos.