Em Lagarto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/07/2012 às 11:35:00

O Ministério Público Eleitoral pediu a impugnação de Norma Dantas, candidata a vice-prefeita na chapa encabeçada pelo candidato a prefeito de Lagarto Lila Fraga (PSDB), da coligação "Lagarto em Boas Mãos". Motivo: analfabetismo. Esse fato foi e está sendo motivo de comentários diversos no município, especialmente por se tratar da esposa de um dos homens mais ricos da região, o ex-prefeito Zezé Rocha.

Em Santo Amaro 1
Ao lado do candidato a vice-prefeito Belmiro Araújo de Andrade (PSL) e dos candidatos a vereador pela coligação "Salve Santo Amaro", o candidato a prefeito de Santo Amaro, Luis Herman, conhecido como Chileno (PSL), realizou sua primeira carreata de campanha. O ato aconteceu no sábado (21) à tarde. Antes, vários veículos foram plotados com o material de campanha do 17.

Em Santo Amaro 2

Vários carros acompanharam a carreata, e na porta das casas as pessoas saudavam Chileno e Belmiro, numa demonstração de carinho e apoio às duas candidaturas. "O povo de Santo Amaro nos conhece bem e não tem dúvidas de que nossa candidatura é a única que representa o caminho da mudança para o nosso município", afirma o socialista.

CURTÍSSIMAS

·       O ex-prefeito de Carira Arodoaldo Chagas (Negão) negou que sua esposa e atual prefeita Gilma Araújo Santos Chagas (PSC) tenha renunciado sua candidatura a reeleição.

·       Negão disse que o fato não aconteceu e nem acontecerá, garantindo que prefeita continua na disputa e atribuiu o boato aos seus adversários.

·       A prefeita Gilma Chagas vem enfrentando problemas de saúde, chegando a ir a São Paulo para tratamento com especialistas.

·       O Promotor de Justiça Antônio Forte de Souza Junior, atuando junto à 16ª Zona Eleitoral, propôs a impugnação de registros de candidatura.

·       Os registros de candidatura impugnados dizem respeito a dois candidatos ao cargo de vice-prefeito: um da cidade de Dores e outro de Siriri.

·       O primeiro não tinha certidão de quitação eleitoral em decorrência de irregularidades na prestação de contas da campanha ocorrida em 2008.

·       O segundo encontra-se inelegível porque teve as contas rejeitadas pelo TCE relativamente ao período em que esteve à frente da Câmara Municipal, nos exercícios de 2003 e 2005.