Dom Quixote do Uruguai

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste entre opostos
Contraste entre opostos

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/04/2015 às 11:34:00

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br

Se foi limado da corrida ao Oscar, provavelmente merece a atenção das plateias, mundo afora. 'Sr Kaplan', do uruguaio Alvaro Brecher, evoca temas profundos como a proximidade da morte sem nenhuma cerimônia. Nesta comédia de erros comovente, a angústia é mero pretexto para a ironia.

O filme retrata o conflito existencial de Jacobo Kaplan (Héctor Noguera), um judeu de 76 anos que mora no Uruguai desde que fugiu da Europa, na Segunda Guerra. Entediado e com a saúde debilitada, o homem descobre a presença de um suposto ex-nazista numa praia vizinha e assume a missão de prendê-lo com a ajuda de seu motorista, Wilson Contreras (Néstor Guzzini).  Não por acaso, a aventura da inusitada dupla já foi descrita por muitos como uma releitura contemporânea do clássico Dom Quixote. Mais óbvio, impossível.

Para o crítico Luis Zanin, do Estadão, o contraste entre os opostos é o grande trunfo da produção uruguaia. "Muito da graça do filme se baseia na clássica formação da dupla assimétrica. Kaplan é magro, rígido e teimoso. Contreras, gordinho, malandro e beberrão. Ambos estão insatisfeitos. Kaplan com a aposentadoria, Contreras porque ficou desempregado e a mulher o deixou, junto com os filhos. Ambos se metem numa aventura improvável, como se fossem a dupla O Gordo e o Magro. Ou, melhor, Dom Quixote e Sancho Pança, provável inspiração da história".
Drama e comédia na dose certa, sem subestimar a inteligência do espectador. Bem longe do Cinemark.

Sr Kaplan no Cinema Vitória:
Quinta e domingo, às 14 horas. Sexta, sábado e quarta-feira, às 17 horas.