Professores de São Paulo decidem manter greve

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/04/2015 às 11:54:00

Bruno Bocchini
Agência Brasil

Os professores paulistas decidiram ontem (10), em assembleia geral, manter a greve iniciada há 28 dias. A assembleia dos professores, realizada na Praça Roberto Gomes Pedrosa, próxima ao Palácio dos Bandeirantes, teve a presença de pelo menos 5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar.

Após a decisão, os professores seguiram para a sede do governo paulista. Eles reivindicam a abertura de negociação com o governo do estado, além de reajuste de 75,33% para equiparação salarial com as demais categorias de nível superior e a incorporação do bônus concedido aos professores, com base no rendimento dos profissionais.

Na última semana, os professores bloquearam o tráfego em rodovias para pressionar o governo a negociar. Ontem, a Rodovia Anchieta foi fechada por cerca de uma hora pelos profissionais de ensino de São Bernardo do Campo.
Em nota, a Secretaria da Educação do Estado disse que permanece aberta ao diálogo e que, neste ano, reuniu-se quatro vezes com os sindicatos que representam os servidores.

"Os professores da rede estadual paulista que receberam reajuste salarial em agosto contam com um piso salarial 26% superior ao estabelecido em todo o país, com um aumento salarial de 45% nos últimos quatro anos. Este mês a pasta iniciou o pagamento do maior bônus da história, que totaliza R$ 1 bilhão", destaca a nota.