Márcio Macêdo é o novo secretário de Finanças do PT

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A indicação de Márcio para tesoureiro nacional  do PT surpreendeu a todos
A indicação de Márcio para tesoureiro nacional do PT surpreendeu a todos

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/04/2015 às 10:34:00

O Diretório Nacional do PT elegeu nesta sexta-feira, o ex-deputado federal Márcio Macêdo (SE) para a Secretaria de Finanças do partido. A votação ocorreu durante reunião realizada na sede da legenda em São Paulo.
Macêdo ocupa o lugar de João Vaccari Neto, que pediu afastamento nesta semana após ter a prisão decretada com base nas apurações da Operação Lava Jato.

Segundo o portal UOL, Márcio Macêdo foi escolhido após três dias de discussões internas. O presidente nacional do PT, Rui Falcão havia convidado o atual vice-presidente nacional Alberto Cantalice e o deputado estadual João Alfredo, mas nenhum dos dois aceitou o cargo. Por conta disso, Falcão transferiu a responsabilidade da indicação para a ala majoritária petista, CNB (Construindo um Novo Brasil), da qual Márcio é integrante.

Biólogo formado pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela mesma instituição, o ex-deputado iniciou sua militância  no movimento estudantil na década de 1990, quando foi presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFS. É professor do Ensino Médio na rede estadual.
Foi presidente do Diretório do PT de Aracaju. Posteriormente, foi eleito presidente da Direção Estadual do partido, quando preparou a legenda para chegar ao governo do Estado, com a primeira eleição de Marcelo Déda. Em 2006, Marcio Macedo coordenou as campanhas vitoriosas de Déda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Estado. Em 2007, foi reeleito presidente estadual do PT.

Como presidente do PT, Marcio buscou aproximar todas as tendências, dialogando com todos os membros e ampliando o trabalho no interior do Estado. Apoiou a juventude, interagindo e valorizando suas ideias e incentivando sua participação nas atividades do partido.

Foi secretário municipal da Participação Popular de Aracaju, quando consolidou uma das marcas das administrações geridas pelo Partido dos Trabalhadores: o orçamento participativo. Pela iniciativa, as pessoas foram ouvidas sobre as demandas mais urgentes de cada bairro, o que democratizou os investimentos da gestão de Marcelo Déda na Prefeitura da capital, levando qualidade de vida para todos.

Foi superintendente do Ibama em Sergipe. Em sua gestão, houve um crescimento substancial das ações do órgão no Estado: a área ambiental.