Copa do Mundo do Brasil de GA servirá como teste para principais eventos do ciclo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A Seleção Masculina de GA é formada por jovens iniciantes e atletas experientes, como o campeão olímpico, Arthur Zanetti
A Seleção Masculina de GA é formada por jovens iniciantes e atletas experientes, como o campeão olímpico, Arthur Zanetti

A jovem ginasta Flavia Saraiva promete fazer sucesso na Copado Mundo de GA em São Paulo
A jovem ginasta Flavia Saraiva promete fazer sucesso na Copado Mundo de GA em São Paulo

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 27/04/2015 às 00:43:00

Daqui para frente, todas as competições serão ainda mais importantes para as Seleções Brasileiras de Ginástica Artística. No mês de julho, as equipes participarão dos Jogos Pan-Americanos, no Canadá. Em outubro, será a vez do Mundial da Escócia, em que o Brasil vai buscar a inédita vaga por equipe para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, principal objetivo deste ciclo. Com uma agenda tão importante a cumprir, um grande teste que irá ajudar a definir o grupo para esses campeonatos e também servir como preparação é a Copa do Mundo do Brasil, de sexta-feira (1º) a domingo (3), no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP). De alto nível, o evento será um termômetro de como os atletas se comportarão com um ginásio cheio e com a pressão natural de estar em casa.

A procura pelos ingressos para os Jogos Olímpicos do Brasil tem a ginástica artística como o quarto esporte mais buscado pelo público. Então, competir com casa cheia e participação do público são fatores bastante ressaltados pelos atletas e comissão técnica, e esse é um teste que terão em São Paulo (SP). "O evento no Ibirapuera será em um momento muito importante para nós, pois esperamos contar com o ginásio cheio, o que é fundamental para analisarmos a parte emocional dos ginastas com essa pressão que se repetirá no Rio de Janeiro", analisou o coordenador das Seleções de Ginástica Artística Masculina da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Leonardo Finco.

Georgette Vidor, coordenadora das Seleções de Ginástica Artística Feminina da CBG, compartilha da mesma opinião de Leonardo. "Será uma competição importante pela experiência que as ginastas terão com a torcida. Queremos testar o comportamento, ver como elas se sairão e o que é possível trabalhar para melhorar. Será o lançamento dessas meninas em um evento de alto nível no Brasil, mas elas estão bem preparadas", afirmou.
A competição em São Paulo (SP) promete grandes apresentações, com ginastas renomados no cenário mundial. "Eu acredito que Alemanha, China e Estados Unidos são os nossos principais concorrentes, com atletas que têm grandes chances de conquistar medalhas. Os demais países também têm alguns ginastas com bastante potencial", destacou Leonardo.

Ao contrário da Seleção Masculina, que mescla jovens atletas com outros mais experientes, a Feminina terá praticamente o 'lançamento' de uma nova geração da modalidade. As expectativas do público em ver de perto Flávia Saraiva e Rebeca Andrade, no primeiro ano de categoria adulta, é grande. Às duas, junta-se o talento de Letícia Costa e Lorrane Oliveira.
"As meninas estão bem, melhorando a cada dia. As provas e os elementos estão mais difíceis. Elas estão um pouco ansiosas pela competição no Brasil, querendo fazer boas apresentações e conquistar resultados positivos", garantiu Georgette.

Segundo a coordenadora, as competições deste ano irão ajudar as meninas para que cheguem mais seguras no Mundial. Além disso, é importante ver como estão as adversárias e apresentar as 'novas caras' brasileiras. "Na Copa do Mundo do Brasil terão alemãs, argentinas, chinesas e mexicanas fortes. Algumas delas serão nossas adversárias diretas em outras competições também. Tudo isso faz parte de nossa preparação", encerrou Georgette.

Aparelhos - Pelo masculino, Arthur Zanetti e Henrique Flores farão a prova de argolas, Diego Hypolito as de solo e salto, Francisco Barretto Júnior e Petrix Barbosa as de cavalo com alças, paralelas e barra fixa. Ângelo Assumpção, que substituiu Arthur Nory Mariano devido a dores no joelho, fará solo e salto. Caio Souza e Lucas Bittencourt serão hors concours, ou seja, se apresentam sem concorrer a medalhas.
Já no feminino, Flávia se apresenta nas assimétricas, na trave e no solo. Letícia fará salto, Lorrane compete na trave (aparelho que foi prata na Copa do Mundo da Eslovênia, no início de abril) e no solo. Rebeca fará assimétricas (bronze na Eslovênia) e salto. Julie Kim Sinmon, Mariana Oliveira e Milena Theodoro serão hors concours.