Fux pede manifestação da Câmara e do Senado sobre Emenda da Bengala

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/05/2015 às 14:39:00

Andre Richter
Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, concedeu ontem (12) prazo de cinco dias para que o Senado e a Câmara dos Deputados se manifestem sobre a ação direta de inconstitucionalidade (Adin) que contesta parte da Emenda Constitucional 88/2015, conhecida como Emenda da Bengala.
A emenda, promulgada na semana passada, mudou o Artigo 40 da Constituição Federal, aumentando de 70 anos para 75 anos a idade a aposentadoria compulsória dos ministros de tribunais superiores. Com o novo texto, também foi estabelecido que a nova regra para aposentadoria ocorrerá conforme o Artigo 52 da Constituição Federal, até que uma lei complementar seja aprovada.
Diante da repercussão jurídica provocada pela mudança, Fux decidiu que a liminar será julgada pelo plenário do STF. A emenda é questionada na Corte pelas associações dos Magistrados Brasileiros (AMB), dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra).
Dessa forma, segundo as associações, os ministros devem passar por mais uma sabatina, além da prevista para ingressar no cargo.