Exposição Vida e Obra de Luiz Gonzaga visita Estância

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/06/2012 às 16:36:00

Nesta quinta-feira, 14/6, a partir das 19 horas, a população de Estância, região Sul do estado, vai poder conferir de perto os 23 banners da exposição Vida e Obra de Luiz Gonzaga, comemorativa ao centenário do Rei do Baião. A exposição deixará o Museu da Gente Sergipana, em Aracaju, para ganhar um espaço de visitação no Fórum Ministro Heitor de Souza, no centro de Estância, retornando em seguida para o seu lugar original.
Paralelo à exposição acontece, no mesmo fórum, palestra sobre o sanfoneiro de Exu com o pesquisador e professor do Colégio de Aplicação da UFS, José Augusto de Almeida, profundo conhecedor da vida e da obra de Gonzagão. Debaterá com o professor Augusto o também professor e pesquisador da vida de Luiz Gonzaga, Acrísio Gonçalves, um outro apaixonado pela música e pela obra majestosa do sanfoneiro.
Responsável pela organização do evento, a professora Ivônia Aparecida Ferreira lembra que é a segunda vez que os dois professores discutirão Luiz Gonzaga em Estância. Mas desta vez, o momento é muito mais especial e enriquecido pela exposição que conta a vida e a obra de Gonzagão.
"Unir uma exposição ao debate sobre as contribuições do Rei do Baião para a nossa cultura, e no seu centenário, é uma iniciativa das mais importantes aqui para Estância. Esperamos uma grande participação dos estancianos neste evento, porque a população tem clamado pelo resgate das nossas manifestações culturais, e o forró e os festejos juninos, tão presentes em Gonzagão, são as nossas maiores identidades culturais, e isso vem se perdendo nos último oito anos", explica a professora.
Segundo ela, a administração municipal tem negligenciado a cultura estanciana e trocado as autênticas manifestações locais, conhecidas até nacionalmente, como os barcos de fogo e as guerras de espadas, por manifestações de fora, até mesmo trocando o forró por apresentações de trios elétricos com música baiana e o chamado forró eletrônico.
"Essa exposição e debate, pelos quais agradecemos ao mandato da deputada Ana Lúcia pelo apoio, são esforços para buscar o resgate das nossas verdadeiras manifestações culturais. O povo estanciano quer muito resgatar as suas tradições, e precisa disso. Esperamos estar colaborando nessa tarefa necessária. Por isso, reforçamos o convite a todos para que prestigiem o evento", ressalta a professora Ivônia.