Dunga tem dúvidas contra o Peru

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Jogadores do Brasil ouvem as últimas instruções de Dunga antes da estreia na Copa América contra o Peru
Jogadores do Brasil ouvem as últimas instruções de Dunga antes da estreia na Copa América contra o Peru

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/06/2015 às 14:32:00

Givaldo Batista
givaldobs@yahoo.com.br

O técnico Dunga tem duas dúvidas para a estreia na Copa América contra o Peru, neste domingo, em Temuco, no Chile: uma no ataque e outra no meio de campo. A dúvida no setor ofensivo, entre Roberto Firmino e Diego Tardelli, parece mais fácil de ser resolvida. Trata-se principalmente de uma mudança de estilos.
Diego Tardelli é mais dinâmico, cai pelos lados, abre espaços e participa da criação das jogadas, além de chegar na área para finalizar. Roberto Firmino, por sua vez, tem menor mobilidade, mas finaliza mais e melhor. É um atacante com mais cara de atacante. Além disso, foi uma aposta do treinador, que valoriza a "garimpagem" de novos talentos no processo de reconstrução da seleção brasileira. Os gols do jogador do Hoffenheim, da Alemanha, são triunfos pessoais do treinador.

No meio de Campo, Dunga está entre Phillipe Coutinho e Fred para o lugar do contundido Oscar. Aqui, o esquema não muda, mas os dois têm características bastante diferentes. O primeiro é mais habilidoso, joga para a frente. Embora não seja um grande artilheiro, tem facilidade para chegar ao gol. Em uma jogada individual, destravou o difícil equilibrado amistoso contra o México, no Allianz Parque.
Já Fred se destaca pela força física, tem uma movimentação mais intensa por todo o setor e maior força na marcação, apesar de boa chegada à frente. Se quiser incomodar o Peru desde o começo e fazer o Brasil ficar com a bola, deverá optar por Phillipe Coutinho. Se propor um jogo de estudos no meio, poderá ficar com Fred.

Peru sem medo - Por mais que o Brasil chegue ao Chile com retrospecto recente de 10 vitórias em dez amistosos, o fiasco da Copa do Mundo manchou o prestígio da seleção pentacampeã mundial, e os jogadores do Peru acreditam nas chances de vitória na estreia da Copa América, neste domingo, em Temuco.
A seleção peruana se apresenta com dois velhos conhecidos do Brasil, o técnico argentino Ricardo Gareca, que teve passagem conturbada pelo Palmeiras no ano passado, e o artilheiro Paolo Guerrero, herói do título mundial do Corinthians, recém-contratado pelo Flamengo.
"Estamos com as baterias recarregadas, ansiosos para estrear na competição. O Brasil é um dos favoritos ao título, mas dentro de campo vamos mostrar que o Peru tem fome de vitória", afirmou o atacante de 31 anos, que chegou a ser dúvida por sofrer dores no tornozelo.
Enquanto a seleção brasileira só viajou ao Chile na sexta-feira, os peruanos já estão em Temuco desde quarta.

No último treino comandado por Gareca, apenas os 15 minutos finais foram abertos à imprensa. Foi possível ver os jogadores treinando finalizações e cobranças de pênaltis.
No que diz respeito à defesa, Gareca garante que não foi feito "nenhum trabalho específico" para tentar parar Neymar.
"Vamos enfrentar a seleção brasileira, não apenas Neymar. Precisamos jogar o nosso futebol. Assim como o Brasil tem talentos individuais, o Peru também tem", avisa Guerrero, que foi artilheiro da última edição do torneio, com cinco gols marcados.