Com saldo positivo, ginástica fecha participação no Pan

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A Seleção Brasileira de GR Conjunto, que treina em Aracaju foi o grande destaque da Ginastica Brasileira no PAN de Toronto
A Seleção Brasileira de GR Conjunto, que treina em Aracaju foi o grande destaque da Ginastica Brasileira no PAN de Toronto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 21/07/2015 às 02:00:00

Toronto (CAN) - A gi-nástica brasileira en-cantou durante os nove dias de apresentações no Coliseu de Toronto, no Canadá, pelos XVII Jogos Pan-Americanos. Os aletas da ginástica artística, rítmica e de trampolim fizeram bonito, conquistaram várias medalhas e aproveitaram os "Jogos Olímpicos da América" como preparação para os Mundiais das modalidades, ainda este ano - o de rítmica será em setembro, o de artística em outubro e o de trampolim em novembro.

A programação da modalidade foi encerrada com muita alegria pelo Conjunto. Nesta segunda-feira (20), as brasileiras garantiram prata nos dois arcos e três pares de maças, com 14,692 pontos. O ouro ficou com os Estados Unidos, com 14,983, e o bronze com o Canadá, com 13,709.
Com o resultado, a equipe da técnica Camila Ferezin subiu em todos os pódios possíveis na competição - além da final de hoje, as brasileiras já haviam sido campeãs das cinco fitas e do Conjunto Geral. Todas as ótimas conquistas fizeram com que o grupo ficasse ainda mais focado e confiante para o Mundial da Alemanha.

"Com certeza vamos para o Mundial querendo mais. Essas meninas têm tudo para conseguir o resultado que a gente tanto espera. Vamos continuar treinando e dando o nosso máximo para chegar na Alemanha e garantir a nossa classificação olímpica", afirmou a treinadora.
No Individual, Angélica Kviecznski levou mais uma medalha, a 100ª da delegação brasileira no Pan de Toronto. Após o terceiro lugar no arco, ontem, desta vez a paranaense de Toledo foi bronze na fita, em uma apresentação animada ao som de 'Welcome To Burlesque', da Cher, com nota de 15,633. Duas norte-americanas ficaram com os primeiros lugares: Laura Zeng, com 16,267, e Jasmine Kerber, com 15,992. Natália Gáudio foi a oitava, com 13,517.

Angélica contou que estava muito confiante para essa final. "Eu entrei para cravar a série e cumprir o meu objetivo. Vim para fazer o meu melhor e eu fiz. Estou muito feliz. Essa medalha tem gosto de ouro", destacou. "Agora o foco é total no Mundial. A gente está no caminho certo, então é só manter esse foco e melhorar alguns detalhes para até lá. Tenho certeza que ficaremos cada vez melhores e que vamos brilhar nos Jogos Olímpicos de 2016", completou.
Para fechar, Angélica ficou na quinta colocação das maças, com 15,267. A campeã foi a norte-americana Laura Zeng, com 16,167, seguida pela canadense Patricia Bezzoubenko, com 15,933, e pela norte-americana Jasmine Kerber, com 15,833. Natália ocupou o oitavo lugar, com 13,633.
Domingo, o Brasil esteve em duas finais do trampolim. Ramirez Pala foi o oitavo, pelo masculino, e Camilla Gomes a sexta, pelo feminino.

Já na semana passada foram as provas da artística. Por equipe, o masculino foi prata e o feminino foi bronze, Flávia Saraiva ficou com o bronze no Individual Geral, Arthur Zanetti garantiu o ouro nas argolas e Caio Souza o bronze no salto.
A presidente da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Luciene Resende, ficou bastante satisfeita com o desempenho dos brasileiros. Segundo ela, os objetivos foram alcançados. "Todos estão de parabéns. As nossas equipes estiveram em muitas finais, subimos a vários pódios e, mais do que isso, estamos em processo de preparação para os Mundiais. Em ano pré-olímpico, todas as competições são fundamentais e todos se saíram muito bem. Agradeço pela dedicação e esforço que mostraram aqui no Canadá", elogiou a presidente, que acompanhou os brasileiros no Pan em Toronto.