Café Pequeno lança disco no MGS

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Beberagem forte
Beberagem forte

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/08/2015 às 00:15:00

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br

"Café Pequeno não toca com muita frequência, mas quando toca faz com gosto". Quem garante é o músico Júlio Rego, convidando geral para o lançamento do disco Voz de dentro (2015), na abertura de extensa programação alusiva ao Dia do Folclore abrigada pelo Museu da Gente Sergipana. O Jornal do Dia já cantou essa pedra. Beberagem forte. Besta é quem perde.

Voz de dentro - Poucos entre os nossos já alcançaram a altura habitada pelo terceto instrumental Café Pequeno. A vertigem proporcionada pelas piruetas de Júlio Rego (gaita), Pedrinho Mendonça (percussão) e Guga Montalvão (violão), contudo, não tem nada de celestial. Apesar do queixo caído de um e de outro, a maravilha é realizada bem embaixo do nariz de todo mundo, com os dois pés enterrados fundo no chão.
'Voz de dentro' (2015), uma coleção de composições propícias à aproximação entre os extremos mencionados, sucede o bem vindo 'Na cozinha de Badyally' (2009). Mas se a unidade do primeiro registro sugere o entrosamento de músicos tarimbados, capazes de amarrar um disco inteiro com a linha de timbres e texturas - uma costura impecável, apesar da diversidade dos temas -, esta nova investida entre as quatro paredes de um estúdio ganhou a cara de um projeto mais consequente.

Não à toa, as seis faixas do disco são pontuadas pela intenção manifesta de um encontro musical com o sergipano do interior profundo. Talvez por isso, o ritmo esteja agora mais presente e bem marcado nos arranjos. Do prelúdio batizado 'Menino da Praia', passando por oportuna homenagem ao gigante Cobra Verde, até o abraço carinhoso no espectro alucinado de Arthur Bispo do Rosário, na outra ponta do disco, há um esforço muito saliente no sentido de dar volume a vultos e valores esquecidos aqui no fim do mundo. Um exercício de reconhecimento.

Um dos pontos altos do repertório, há ainda o resgate de uma composição do mestre João Rodrigues, definido pelo próprio terceto como "o mais puro retrato da alma da gente sergipana", participação especial de Dona Nadir da Mussuca, e a taieira enxertada numa peça de Guinga. Tudo biscoito fino.
'Voz de Dentro' foi produzido, gravado e mixado por Dudu Prudente, no Orí estúdio. Uma prova de que quem sai aos seus não degenera.

Café Pequeno lança 'Voz de dentro':
05 de agosto, 19 horas, auditório Museu da Gente Sergipana