Fórum debaterá políticas culturais para povos indígenas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/08/2015 às 00:27:00

Renovar o Colegiado Setorial de Culturas dos Povos Indígenas e atualizar o Plano Nacional das Culturas Indígenas, documento norteador das políticas indígenas do Ministério da Cultura (MinC). Esses são os principais objetivos do II Fórum Nacional das Culturas Indígenas, que será realizado de 11 a 14 de agosto, em São Paulo (SP). O Fórum faz parte da ampla programação do evento Brasil Indígena: história, saberes e ações, que reunirá, entre 9 e 16 de agosto, mais de 200 lideranças indígenas do Brasil, que debaterão diversos pontos ligados a políticas culturais para os povos indígenas.

O secretário de Articulação Institucional do MinC, Vinícius Wu, considera o evento um dos momentos mais importantes de organização, planejamento e afirmação da cultura indígena neste ano. "É um espaço importantíssimo de organização de uma agenda cultural que valorize a complexidade e a diversidade da contribuição indígena para a formação da identidade cultural do País", destacou. "Vamos aproveitar o fórum para eleger os representantes do Colegiado Setorial e os representantes dos índios no Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC)", completou.

Maurício Fonseca, membro do atual Colegiado Setorial de Culturas dos Povos Indígenas, explica que o Fórum foi pensado, originalmente, como um seminário destinado a aprofundar as reflexões contidas na publicação Brasil Indígena: História, Saberes e Ações, produzida em parceria entre o Serviço Social do Comércio de São Paulo (Sesc-SP) e o MinC. O livro trata das condições de vida atuais dos povos indígenas brasileiros e os desafios que enfrentam em seu cotidiano para fortalecer suas identidades culturais.
Ao longo do Fórum, serão realizadas 11 rodas de conversas para debater temas contidos na publicação, como meio ambiente, alimentação, línguas, saúde e expressões artísticas. "Ao fim de cada roda de conversa, as lideranças indígenas definirão propostas para enfrentar os problemas detectados, tendo como referência o plano setorial", explica Fonseca.
A expectativa é que, ao final do Fórum e das rodas de conversa, seja estabelecida a definição das metas do Plano Setorial até 2020 e das prioridades para o biênio 2015/2016. A síntese dos debates será apresentada ao ministro da Cultura, Juca Ferreira, em 15 de agosto, às 20h, no Sesc Belenzinho.
Outra atividade do Fórum é a eleição dos membros do Colegiado Setorial de Culturas de Povos Indígenas para o biênio 2015-2017. O Colegiado é formado por 20 membros titulares, 20 suplentes, sendo 15 da sociedade civil e cinco do poder público. A eleição, realizada pelos 110 delegados do Fórum, será na manhã do dia 14 de agosto.

Encontro - O encontro Brasil Indígena: história, saberes e ações busca debater diversos pontos ligados a políticas culturais para os povos indígenas. O evento será composto de três ações: reuniões do Colegiado Setorial das Culturas Indígenas (9 e 10 de agosto), o II Fórum Nacional das Culturas Indígenas (de 11 a 14 de agosto) e o Encontro das Culturas Indígenas (de 13 a 16 de agosto).
A reunião do atual colegiado, entre 9 e 10 de agosto, vai preceder o Fórum. Ela fará um balanço da gestão 2013 a 2015 e irá preparar a transição para o novo colegiado eleito, com os desafios que precisam ainda ser superados.
Por fim, o Encontro das Culturas Indígenas encerrará o evento e irá mostrar ao público expressões culturais de diferentes etnias do Brasil. Serão realizadas rodas de história, oficinas, intervenções culturais, mostra de vídeos indígenas, feira de artes indígenas e a cerimônia de lançamento da publicação "Brasil Indígena: História, Saberes e Ações" e da entrega e divulgação da Carta do II Fórum Nacional das Culturas Indígenas.
A Fundação Nacional do Índio (Funai), a Fundação Nacional de Artes (Funarte) e a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) apoiam o evento.