Licitação do transporte começou em 2010

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O prefeito Edvaldo Nogueira
O prefeito Edvaldo Nogueira

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 31/07/2012 às 02:51:00

Chico Freire
chicofreire@jornaldodiase.com.br

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB) esclareceu que a licitação do transporte público, em andamento, teve início em 2010, e não este ano, no final do seu mandato, como acusou o candidato do DEM à sucessão municipal, João Alves Filho.

João chegou a admitir que, uma vez  eleito prefeito de Aracaju, anulará a licitação,  feita segundo ele no final da atual administração, sem medir as consequência para a futura gestão municipal.
"Nós iniciamos a licitação em 2010 e todos sabem que é um processo demorado. Portanto, essa é uma acusação sem fundamento. Toda a licitação que fazemos é com  dinheiro em caixa",  explicou Edvaldo.
O prefeito lançou suspeitas e dúvidas sobre as licitações promovidas pelo ex-governador.  "Todas as licitações feitas pelo ex-governador João Alves Filho foram deixadas sem verbas em caixa. Não tem uma obra de João Alves. Todas as licitações que ele deixou não tinham verbas disponíveis", acusou Edvaldo.

Sucessão -  Para o prefeito, o plano de José Carlos Machado, candidato a vice de João Alves, é assumir a prefeitura de Aracaju daqui a um ano e meio, com a renúncia do titular para disputar o governo do Estado em 2014. "Foi só por isso que ele aceitou ser candidato a vice agora", afirmou.

Na avaliação de Edvaldo , Machado torce para que sua administração dê errado. "José Carlos Machado é quem mais torce para que as coisas deem errado e é quem mais torce contra Aracaju. Eu não entendo como pode querer ser candidato se ele torce tanto contra Aracaju", questionou.  Durante a entrevista,  o prefeito também acusou Machado de estar movendo uma ação contra o município de Aracaju e em favor de São Cristóvão. "Ele quer passar o Mosqueiro para o município de São Cristóvão. Machado quer passar a metade de Aracaju para São Cristóvão, para ele pagar os impostos de seus terrenos naquele município. Portanto, ele não tem o melhor exemplo de sentimento de amor por Aracaju", disse Edvaldo.