GIZELDA, MULHER SUBLIME

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 31/08/2015 às 13:50:00

Da professora, escritora e poeta Gizelda Morais se poderia dizer que ela foi uma mulher sublime. Uma dessas que na passagem pela vida deixam flores pelo caminho. Por ter sido assim, Gizelda será sempre lembrada com saudade e carinho. Lutando contra a doença encontrou energia ainda para escrever seu último livro. Enviou um exemplar para a amiga, e colega de Academia, a professora Patrícia Verônica. Ela escreveu sobre o romance um artigo publicado no Jornal da Cidade. Jackson da Silva Lima, intelectual em permanente erupção criativa, foi um dos leitores, depois, enviou à Patrícia o e-mail: ¨Gizelda me enviou cópia do seu artigo sobre o romance dela ¨A Um Passo do Esquecimento¨. Além de oportuno pelo estado em que se encontra a nossa amiga comum em sua dolorosa ¨via crucis¨ de vida material, nos proporcionou deleitável epifania por suas colocações sensíveis e lúcidas a respeito da obra, último grande esforço criador da notável romancista sergipana. Continue escrevendo assim para o encanto de quem lê (mais com a alma do que com os olhos). A leitura de bons textos é um ópio confortador e apetecível pela magia de nos transportar a páramos desconhecidos, estonteantes e paradisíacos.
Com o nosso abraço, meu e de Salete, extensivo ao digníssimo esposo, o caro Beto, Jackson¨.
Para a vaga de Gizelda na ASL consolida-se o nome do conselheiro e intelectual Carlos Pina, repleto de credenciais e de benquerenças.