Reitor destaca empenho de Jackson para a criação do Campus do Sertão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Jackson Barreto com o reitor Angelo Antoniolli no laboratório do Campus do Sertão
O governador Jackson Barreto com o reitor Angelo Antoniolli no laboratório do Campus do Sertão

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/10/2015 às 01:40:00

O Alto Sertão sergipano, famoso pela alta produção de leite e milho, se configura como um novo polo atrativo. Duzentos jovens estudantes, sendo 80% de moradores do semiárido, terão a oportunidade a partir de 03 de novembro deste ano de cursar Medicina Veterinária, Agroindústria, Agronomia e Zootecnia no Campus do Sertão, situado em Nossa Senhora da Glória. A nova unidade da Universidade Federal de Sergipe (UFS) foi uma conquista do governador Jackson Barreto e da UFS que atenderam 24 entidades representativas da região, através de abaixo-assinado.

"Sempre tivemos boas expectativas porque o governador é muito aberto para as demandas da população. Havia uma luta de vários anos e ele atendeu rapidamente ao nosso pleito. Assim que entregamos o documento, ele já foi buscar o apoio do Ministério da Educação", conta a moradora do assentamento Jacaré-Curituba e representante do Coletivo da Juventude do Campo, Joana Vieira da Silva, acrescentando que o documento foi entregue a Jackson Barreto em agosto de 2013 durante ato no povoado Santa Rosa do Ermírio na cidade de Poço Redondo.

Além do apoio à implantação do campus, Jackson Barreto viabilizou a transferência da Fazenda Modelo, área de aproximadamente 100 tarefas onde será montada a estrutura de aprendizagem do polo. "O apoio de Vossa Excelência foi decisivo para a garantia do sucesso da interiorização do ensino no estado de Sergipe, contribuindo para a criação do Campus do Sertão", escreveu o reitor da UFS, Angelo Roberto Antoniolli, em ofício enviado ao governador, agradecendo o empenho do Chefe do Executivo na instalação da unidade em Nossa Senhora da Glória.

Jackson Barreto agradeceu o reconhecimento da Instituição e se comprometeu a continuar lutando pela expansão do ensino superior no estado. "O Campus do Sertão atende aos filhos dos trabalhadores. A partir de agora, eles poderão adquirir conhecimento, mudar suas vidas e, sobretudo, atuar pelo desenvolvimento da região. Foi um sonho pelo qual batalhei muito, para oferecer oportunidade aos jovens. Porque o melhor jeito de oferecer inclusão é através da Educação. Acredito e sou prova disto", disse o governador.

Campus do Sertão - O Campus do Sertão teve sua aula magna no dia 29 de setembro. Através dela, os estudantes conheceram a metodologia de ensino adotada no polo das Ciências Agrárias, o PBL - Problem Based Learning, ou, em português, Aprendizagem Baseada em Problemas. O método coloca os estudantes como elemento central do aprendizado, e a problematização como meio de desenvolvimento e absorção de conteúdos. Através dele, é possível promover uma interação entre professores, comunidade e alunos, e proporcionar uma atuação cada vez mais ativa. Segundo o reitor da UFS, Angelo Roberto Antoniolli, esta é a primeira universidade brasileira na área a utilizar o PBL em todos os cursos.

"Nosso foco é atingir os agricultores familiares e a ideia é que os alunos busquem mais os professores para tirar dúvida, e que estudem mais em casa. Por exemplo, o docente vai passar uma atividade relacionada à região, na outra semana os discentes a apresentam e posteriormente eles discutem o que aprenderam durante a semana. Na metodologia convencional o professor joga as informações para o aluno. Nessa, ele está em constante aprendizado, pois está em busca do assunto. Vai ser interação entre educador, estudante e comunidade", pontuou o diretor do campus, Jodnes Sobreira Vieira.