Déda critica procuradores do Estado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/08/2012 às 14:40:00

Chico Freire

O governador Marcelo Déda repudiou ontem a ação de improbidade administrativa movida na justiça por procuradores do Estado contra o secretário estadual de Justiça,  Benedito Figueiredo.

"Vejo  com extrema preocupação a tentativa de alguns setores da Procuradoria de se valer de atribuições do cargo para fazer pressão sindical. As ações que estão sendo propostas não são ações que tem por motivação qualquer prática de ilegalidade. Porque se fosse, essas ações já teriam sido propostas há mais tempo", analisou o governador.

Para ele,  o que se vê é uma tentativa de se utilizar as funções da Procuradoria, as tarefas de um procurador para fazer pressão salarial. "Isso é incorreto, é anti-ético, e tem inclusive provocado reações em diversos setores da sociedade, especialmente no meio jurídico", disse.

Inaceitável - O governador deixou claro não ser adepto da pressão, mas da conversa, da negociação, do respeito aos movimentos, às atividades reivindicatórias. "Agora, é inaceitável que servidores públicos se valham do seu cargo para atacar integrantes da administração de forma equivocada, com objetivo meramente salarial", repudiou. "O caminho encontrado por setores da associação não é o caminho mais adequado, é um caminho que inclusive depõem contra a carreira, contra os próprios decretos da carreira e não ajuda a fortalecer a presença da Procuradoria Geral do Estado", acrescentou.

De acordo com Déda, o  secretário Benedito Figueiredo mostrou algumas contradições nesse procedimento dos procuradores.  "Acho normal a categoria se mobilizar, fazer assembleia, fazer protesto, buscar fazer mobilizações, faz parte da disputa democrática. Mas achincalhar a honra alheia, tentar destruir reputações com interesse remuneratório, uma categoria que ganha um dos mais altos salários da administração pública Estadual, acho incorreto", lamentou.