Governador confirma pagamento da folha no dia 11 de cada mês

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Ao reassumir cargo, o governador Jackson Barreto  cumprimenta o vice, Belivaldo Chagas
Ao reassumir cargo, o governador Jackson Barreto cumprimenta o vice, Belivaldo Chagas

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 17/11/2015 às 00:39:00

O governador aproveitou a coletiva para anunciar mudanças necessárias no governo, como o estabelecimento de uma nova data de pagamento da folha de salário do Estado, que passará a ser paga integralmente no dia 11 de cada mês.
"Não vamos mais parcelar o pagamento. No dia 11 do mês subsequente, todo mundo recebe. Assim o servidor pode se organizar, porque sabemos que todos têm seus compromissos. Estávamos colocando recursos de um mês já na folha do mês seguinte, a situação de dificuldade não nos permitia fazer diferente. Então, ao invés de ficarmos em dúvida e na angústia todo mês de se iríamos pagar ou não, parcelar, definimos com os secretários da Fazenda e do Planejamento que vamos fazer o pagamento no dia 11 de cada mês, assim cada trabalhador pode se programar com as obrigações que têm a quitar".
Jackson explanou também sobre o décimo terceiro salário do servidor. "Também estamos trabalhando para pagar o décimo terceiro salário dentro do mês de dezembro. No último pagamento, recebemos a menos R$ 20 milhões, se levarmos em conta a primeira parcela de novembro de 2014, são R$ 20 milhões de recursos a menos, só neste período, de um ano para outro".

Parcelamento do Refis - Jackson informou que também foi encaminhado à Assembleia Legislativa de Sergipe (ALS) proposta para o Processo de Parcelamento do Novo Programa de Regularização Fiscal (Refis) do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), com o intuito de arrecadar mais recursos para ajudar o Estado nas despesas do final de ano.
"Com o parcelamento do Refis e de outros impostos, pretendemos conseguir arrecadar algo a mais para a gente ajudar as responsabilidades de pagamento de servidores no mês de dezembro. Esperamos que, com isso, a gente possa estimular os nossos comerciantes e empresários que estão em débito com o Estado, pois a proposta concede muitos benefícios, dispensa muitas multas, determinados cobranças fora do prazo, para que com isso haja uma melhoria da receita para atender as necessidades do Estado".

O governador pediu também compreensão e o auxílio de todos os Poderes e da sociedade para ultrapassar as dificuldades do momento. "No momento como este, que estamos atravessando, cada um que vier a se somar a este projeto será bem vindo porque a gente compreende muito bem o papel de todos nós neste momento de dificuldades. É um momento de união, a crise que a gente atravessa não é uma crise só da Economia. Bastava que houvesse mais entendimento político, que os homens, as pessoas conversassem mais. O diálogo ajuda a resolver problemas. Quando não se consegue resolver, é quando se coloca os interesses pessoais na frente dos interesses coletivos".