"Esse vai ser o pior final de ano da minha vida", diz professora aposentada

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Professores aposentados durante manifestação na  frente do Palácio de Despachos
Professores aposentados durante manifestação na frente do Palácio de Despachos

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/12/2015 às 02:37:00

A fala da professora aposentada Ana Lúcia Santos resume o sentimento coletivo das professoras aposentadas e dos professores aposentados que participaram do ato público "Natal da Miséria" realizado pelo SINTESE em frente ao Palácio de Despachos.
"Em mais de 25 anos de trabalho e agora como aposentada nunca passei uma situação tão difícil. A ceia de natal está praticamente cancelada e olha que não estou falando de fartura, estou falando do essencial", continua a professora.
Os aposentados e pensionistas só tem a perspectiva de receber o 13º em seis parcelas, caso não recorram a um empréstimo, a partir dos proventos de janeiro. Como eles têm recebido com atraso, estamos falando de ver a cor do dinheiro somente no mês de fevereiro.
"Ficamos sem décimo terceiro e nossos proventos de dezembro só vão sair em janeiro. Mais uma vez os aposentados são os mais penalizados", disse a diretora do departamento de Aposentados do SINTESE, Ana Geni Andrade.
Ela relata também que há professores sofrendo com depressão. Desde julho que os aposentados começaram a receber seus proventos de forma parcelada. A partir de outubro a situação piorou, pois se passou a receber com atraso.
"É nesse momento que mais precisamos dos nossos proventos, pois temos que além de comprar alimentos e manter as nossas casas, temos remédios para comprar. Nossa saúde está em risco", aponta Maria Luci Lima Santos, também da do Departamento de Aposentados do SINTESE.

Nova ação judicial - Na última sexta, 18, o desembargador Cesário Siqueira extinguiu o mandado de segurança impetrado pelo SINTESE. A liminar, que foi concedida pela juíza Simone Fraga, determinou que o Sergipe Previdência pagasse os proventos dos aposentados dentro do mês.
O Sergipe Previdência recorreu da decisão liminar afirmando que não podia pagar cumprir com essa determinação por que o Governo do Estado não está efetuando o repasse da complementação dentro do mês.
O desembargador entendeu que a ação devia ser proposta também contra o Governo do Estado.
No entendimento do SINTESE a ação contra o governo do Estado deve ser impetrada pelo Sergipe Previdência já que a dívida do Estado é com esse órgão ao não fazer o repasse dentro do mês como determina a legislação.
Apesar disso, o SINTESE vai protocolizar novo Mandado de Segurança citando o Sergipe Previdência e o Governo do Estado.

Fisco aprova novo calendário de ações em defesa do Plano de Carreira

Ontem, em assembleia extraordinária, os auditores e auditoras de tributos aprovaram novo calendário de mobilização em defesa da criação de um novo Plano de Carreira para o Fisco. A greve foi deflagrada no dia sete de novembro e terminou na semana passada.
"Com 39 dias de greve sem nenhuma iniciativa do governo em negociar nossos pleitos, fomos obrigados pela Justiça a encerrar a greve que durou 39 dias. Mas mantemos nossa insatisfação com o descaso da administração. Também mantemos a unidade do Fisco e a entrega de cargos de chefia na Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz)", destaca o presidente do Sindicato do Fisco de Sergipe, Paulo Pedroza.
O novo calendário de ações do Fisco começa hoje, 23, às 7 h, com Café e Mobilização, na porta da Sefaz. Na próxima segunda-feira, dia 28, terão duas atividades: às 7 h, as lideranças farão visita ao Centro de Atendimento ao Contribuinte (CEAC) da Sefaz - localizado em frente ao Ceasa - e às 15h, terá reunião do Conselho de Representantes do Fisco e ex-chefes de setores da Sefaz. Na terça-feira, dia 29, às 07h, Café com Mobilização na porta da Sefaz. Na quarta-feira, 30, às 8h30, o Sindifisco fará nova Assembleia Extraordinária.    
Para o diretor de Administração do Sindifisco, Abílio Castanheira, "a assembleia reafirmou o espírito de luta do Fisco para 2016". O secretário de Comunicação do Sindifisco, Ernesto Barreto, afirmou que o governo estadual está protelando a abertura de negociações. "O governo está jogando suas fichas na nossa desmobilização. Mas a cada dia, estamos mais fortes e seguiremos assim até a nossa vitória", afirma Ernesto Barreto.
Plano e Reposição Salarial - O movimento grevista foi deflagrado no dia 7 de novembro. A categoria continua buscando a negociação do novo Plano de Carreira para o Fisco com reposição salarial, ainda que às questões econômicas salariais sejam concretizadas após a saída do limite prudencial. As lideranças sindicais apontam que as perdas salarias acumuladas, frente à inflação, já ultrapassaram 20%.