O \'MÓIO DE QUENTO CUSTA TRÊS REAL\'

Luiz Eduardo Costa

A inflação dispara, a recessão aumenta, e o novo ministro da Fazenda quer liberar crédito fácil para que as pessoas endividadas voltem a comprar. Tarefa notoriamente impossível. Chegamos ao ponto mais critico de uma crise econômica: a estagflação, junção perversa de recessão com subida descontrolada de preços. E os preços parecem mesmo descontrolados, algo que é muito mais psicológico, resultado do descrédito a que chegou o governo. Quem foi ao mercado neste fim de ano ouviu dos vendedores: "Um móio de quento é três real".


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS