As limitações do possível

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/06/2012 às 11:14:00

A oportunidade de matar a sede com um bocado de trabalho. Com acesso a crédito bancário, distribuição de sementes e de horas máquina, os produtores rurais dos municípios em situação de emergência reabilitam a terra para a próxima safra e recuperam sua renda. Essa é a principal aposta do governo do Estado para minimizar os efeitos de uma das maiores estiagens da história.
O crédito chegou em boa hora. Os prejuízos causados pela seca aos agricultores preocupam a Federação dos Trabalhadores/as na Agricultura do Estado de Sergipe (Fetase), que alerta para a ameaça das cadeias produtivas no campo, há um bom tempo. A presidente da Fetase, Maria Lúcia Santos de Moura, diz que um dos setores produtivos mais atingidos pela seca é a produção de leite, em decorrência da perda do gado por falta de água. A presidente da Fetase também chama a atenção para a falta das condições de plantio e as consequências da mudança da cadeia produtiva junto ao mercado consumidor. Com a plantação comprometida, alguns alimentos já estão inacessíveis e mais caros para a população.
Cerca de 150 mil famílias pessoas já foram afetadas pela estiagem que atinge Sergipe desde outubro do ano passado. Por conta da seca, dezoito municípios decretaram situação de emergência, segundo a Defesa Civil estadual. Desde o início de dezembro, a Coordenadoria Especial da Defesa Civil (Codec) distribui água através da Operação Pipa. Depois, atendendo a reivindicação dos flagelados, a atuação dos carros pipa aumentou em pelo menos 40%. Além disso, o governo prometeu implantar sistemas de abastecimento de água nas comunidades rurais; realizar a manutenção e instalação de novos dessalinizadores para recompor as fontes que possuem a chamada água salobra, e providenciar a instalação de 25 novos equipamentos nos municípios afetados.
Com o solo preparado para o plantio resta esperar pela boa vontade de São Pedro. Aqui embaixo, com todas as limitações inerentes à peleja contra as forças da natureza, os responsáveis estão fazendo o possível.