O GRUPO JOÃO SANTOS E A FÁBRICA QUE FECHA

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/01/2016 às 10:27:00

A crise que afeta o grupo João Santos não resulta da retração econômica. A derrocada do grupo começou há mais tempo e se vem arrastando, deixando agora sinais evidentes de que uma recuperação é improvável. A fábrica de cimento em Sergipe é uma das diversas cimenteiras que foram instaladas em vários estados pelo patriarca, que deixou o comando do grupo já muito idoso e chegou ao centenário. Com todas as mazelas de uma empresa familiar com carência de gestão profissionalizada, o grupo, pelos sintomas claros na fábrica cimenteira sergipana, parece em estado terminal, se não houver o socorro de alguma fusão ou compra.