Crime de morte

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/01/2016 às 02:59:00

É de uma irresponsabilidade sem proporções a atitude recorrente da Prefeitura de Aracaju que atrasa pagamento de repasses devidos ao Hospital de Cirurgia. Isso é uma espécie de roleta russa coletiva, já que a vida de muitas pessoas fica por um fio.
Essa falta de repasse de recursos financeiros vem provocando um caos num setor que já é caótico por natureza. Mantendo-se como instituição filantrópica e atendendo basicamente pacientes do Sistema Único de Saúde, o Hospital de Cirurgia rotineiramente salva milhares de vidas em Sergipe. Mas é carente de recursos. É pobre em quase todos os sentidos, desde as instalações físicas até a disponibilidade de material e equipamentos. Portanto, é crueldade da Prefeitura de Aracaju, e também do governo do Estado, que insiste em permanecer com dividas junto ao hospital, enfraquecendo significativamente o sistema de atendimento no Cirurgia.

A consequência direta da falta de recursos é a paralisação dos funcionários, incluindo setores administrativos, assistentes de enfermagem e médicos. A consequência da paralisação é a precarização nos atendimentos, incluindo diagnósticos e procedimentos cirúrgicos. A consequência da referida precarização é a piora no estado de saúde de pacientes geralmente pobres. Já a consequência dessa piora é a morte. E aí não há santo que retire a culpa dos gestores públicos que não priorizam a saúde da população.
Ontem o Jornal do Dia publicou reportagem mostrando que até amanhã, dia 14, todos os procedimentos cirúrgicos previstos para ocorrer no Hospital de Cirurgia estariam suspensos. Isso porque uma paralisação dos funcionários teve início na segunda-feira, 11, em protesto ao não pagamento do salário de dezembro. Também não foi paga ainda a segunda parcela do 13º salário dos funcionários. Ou seja, um caos e um desrespeito sem tamanho.
Atentem. Essa paralisação de 72 horas provocou a suspensão de cerca de 60 cirurgias, sendo 22 previamente marcadas para a segunda-feira, e mais 21 que estavam previstas para ontem. E é ai que a roleta russa começa a funcionar. Quem irá sobreviver mais um dia sem a cirurgia? Quem não irá?
A reportagem do jornal aponta que por enquanto apenas o Ministério Público Estadual se preocupa com o problema. A sociedade permanece inerte diante disso tudo. Sequer as entidades de classe se envolvem com tamanho problema social. De acordo com informações do promotor de justiça Fábio Veigas, a dívida atual da Prefeitura de Aracaju com o Hospital de Cirurgia ultrapassa a casa dos R$ 11 milhões. Um absurdo. Ainda mais se levarmos em conta que existe um termo de ajuste de conduta que foi assinado por gestores da saúde municipal, do Hospital de Cirurgia e da Promotoria de Direitos à Saúde do MPE. Coisa de caloteiros.
Enquanto isso, os cerca de 1.400 funcionários que permanecem em greve aguardam pelo recebimento de seus salários. "Estamos, claro, pedindo que o salário atrasado seja pago e que a gratificação natalina também, mas mais do que isso, é preciso que o prefeito João Alves Filho possa se atentar para o dano que a administração dele tem causado para os pacientes que dependem do SUS para se manter vivo. Tem pessoas aqui que estão há meses aguardando por um procedimento cirúrgico e infelizmente acabam sendo penalizadas por falta de competência administrativa dos gestores", clamou o presidente da Associação dos Funcionários e Amigos da Unidade (ASFA), José Cícero de Souza. O Estado, apesar da dívida ser menor, também tem parcela de culpa. É preciso respeitar os trabalhadores e os pacientes", disse.
A propósito, além dos R$ 11 milhões devidos pela PMA, o Ministério Público aponta também uma dívida de R$ 5 milhões do IPES Saúde. Um belo incentivo à morte de pessoas inocentes.

Paciência
Ontem houve reunião no Ministério Público para tratar das dívidas da PMA e do Governo com o Cirurgia. Segundo os gestores, a prefeitura se comprometeu em pagar ainda ontem R$ 5,8 milhões. O Estado disse que repassaria mais R$ 1,7 milhão, mas não assumiu possuir dívida com o hospital. Enquanto isso, os funcionários aguardavam o dinheiro do salário de dezembro na conta.
 
Sem grana
E segue o calvário dos professores e servidores públicos aposentados pelo Estado. Não receberam seus salários de dezembro/2015 ontem, como estava previsto. Provavelmente recebam hoje, mas não se sabe. Antes, o Governo do Estado havia assegurado que o pagamento de dezembro seria efetuado no dia 11 de janeiro. O Sintese diz que desde julho de 2015 que os aposentados começaram a receber seus salários de forma parcelada. A partir de outubro a situação piorou, pois as aposentadorias passaram a ser pagas com atraso. "O servidor aposentado não merece continuar a viver com tal insegurança, vendo mês após mês o governo pagar as aposentadorias na data que bem entende", reclama o sindicato.
 
Os descontentes
Foi no mínimo estranha a ausência do presidente estadual do PSD, deputado Jeferson Andrade, no ato que consolidou a aliança entre o seu partido e o PSB para a eleição em Aracaju este ano. Fábio Mitidieri, deputado federal e mentor da aliança, dirige o partido na capital. Portanto, é dele a decisão de apoiar a pré-candidatura de Valadares Filho (PSB) para prefeito, e pelo visto, sem conversar com sua executiva estadual. Há quem diga que existe descontentamento e protesto de Jeferson por conta da não desistência de Antônio Carlos Valadares (PSB) na disputa pela reeleição ao Senado em 2018. A conferir.
 
Há vagas
A propósito, por enquanto a base governista apresenta os nomes de Fábio Mitidieri (PSD), Rogério Carvalho (PT) e Heleno Silva (PR) para concorrer às duas vagas do Senado em 2018. Todos querendo que Valadares pai pendure as chuteiras e deixe o caminho livre para uma outra geração de políticos.
 
Proselitismo político
A turma do governo do Estado garante que o senador Eduardo Amorim - aquele a quem o governador Jackson Barreto compara ao personagem humorístico Mister Bin - faz uma espécie de proselitismo político quando propaga sua colaboração ao futuro Hospital do Câncer do Estado. Diz o senador que em 2013 conseguiu emendar R$ 33 milhões; em 2014, R$ 35 milhões; e em 2015, R$ 40 milhões. "Mas é tudo emenda de bancada que o governo federal não está liberando. Sequer está empenhando", assegura um aliado do governo. Sabe-se que em tempos de crise política e financeira, apenas as emendas individuais estão sendo liberadas por serem elas impositivas.
 
Povo nas ruas   
A Campanha do Veto Popular elaborou uma agenda de atividades para sair em busca de assinaturas que poderão barrar na justiça o reajuste da tarifa de ônibus em Aracaju para R$ 3,10. Nesta quinta-feira, dia 14, haverá caminhada de estudantes e trabalhadores ruas e avenidas do Centro da cidade, com concentração marcada para 15h, na Praça Fausto Cardoso. Ontem os manifestantes foram ao bairro Japãozinho para dialogar com os moradores e coletar assinaturas. Hoje, dia 13, estarão no Santa Maria nos pontos de coleta de assinaturas (com concentração no G Barbosa), a partir das 16h.

Tem mais
Também nesta quinta-feira, no turno da manhã, serão instalados pontos de coleta de assinaturas nos terminais de ônibus da cidade (DIA, Mercados, Centro, Maracaju, Rodoviária Nova e Atalaia). Já na sexta-feira, 15, será realizado o Bloco do Veto Popular, manifestação que reunirá arte, cultura e ato social contra o aumento da tarifa. A concentração do bloco será no G Barbosa do bairro Bugio, a partir das 16h. No sábado, a partir das 6h30, a coleta de assinaturas acontecerá nas entradas da Feira do Santo Antônio e, às 9h, no Calçadão da João Pessoa (concentração na Caixa Econômica). No domingo, aproveitando o movimento de pessoas para a Orla da cidade, a coleta será feita no Terminal de ônibus da Atalaia, a partir das 9h.
 
Em Brasília
A Câmara dos Deputados, em Brasília, começará ano legislativo com três MPs trancando a pauta de votações. Uma delas eleva o Imposto de Renda da Pessoa Física sobre o ganho de capital. A outra autoriza a loteria instantânea Lotex a também explorar comercialmente eventos de apelo popular e licenciamentos de marcas e de personagens. A terceira modifica a estrutura e competências de ministérios e de órgãos da Presidência da República.
 
Sergipe na Fifa
Pouca gente percebeu, mas a maldição do famigerado Cacique Serigy (que impede o sucesso dos sergipanos em variadas áreas de atuação) estava presente na festa de premiação da Fifa, na Suíça. O gol mais bonito do mundo em 2015 foi de um brasileiro, Wendell Lira, vencedor do Prêmio Puskas. E o goleiro que sofreu o gol foi um sergipano, Márcio, que defende o Atlético-GO. O time de Wendell Lira era o Goianésia, e o gol dele desbancou os de Lionel Messi e Florenzi na premiação.

Ajuda portuguesa
Uma boa notícia para os amantes da língua portuguesa que sofreram com o incêndio no prédio do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, no dia 21 de dezembro. Portugal declarou ontem que pretende ajudar na reconstrução do espaço. Para eles, o museu foi bem sucedido ao "inovar no plano da divulgação de conteúdos baseadas na utilização das novas tecnologias de informação, com recursos interativos que em muito contribuíram para a assinalável e permanente adesão de milhões de visitantes interessados no conhecimento do universo da língua e das culturas que se exprimem em português". O museu está localizado no prédio histórico da Estação da Luz, na área central da cidade de São Paulo, e tem por objetivo valorizar e difundir a língua portuguesa.

A conquista é um acaso que talvez dependa mais das falhas dos vencidos do que do gênio do vencedor
Madame de Staël, romancista e ensaísta francesa