Governador participa de inauguração de Centro de Hemodiálise da região Sul de Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Aspecto da inauguração da clínica em Estância
Aspecto da inauguração da clínica em Estância

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 29/01/2016 às 00:23:00

A região Centro-Sul de Sergipe passou a contar a partir da noite desta quarta-feira, 27, com o seu primeiro Centro de Hemodiálise. A entrega da nova clínica contou com a participação do governador Jackson Barreto, no município de Estância. Também participaram da solenidade diversos prefeitos da região. O serviço atenderá a cerca de 100 pacientes ao mês. O investimento de dois grupos privados foi de cerca de R$ 4

milhões.
A iniciativa do empreendimento é das clínicas Medicina Laboratorial (Medlabor), que tem à frente o bioquímico Marcelo Leite e a relações públicas Tatiana Meireles, e a Nefrologia de Estância (Nefroes), comandada pelo médico nefrologista Paulo Tarcísio Azevedo Melo e o enfermeiro Márcio Augusto, em parceria com a Prefeitura de Estância.

O Centro será a primeira clínica da região centro sul que prestará tratamento aos pacientes renais crônicos, evitando dessa maneira que eles se desloquem de onde residem para receber assistência na capital. O serviço vai reduzir os incômodos do tratamento e trazer mais conforto para os portadores da deficiência.
O governador Jackson Barreto destacou a importância da iniciativa privada em buscar parceria com o ente público para melhor prestar assistência aos pacientes. "Esta parceria da iniciativa privada com a prefeitura de Estância vai viabilizar um tratamento com maior conforto e dignidade para os pacientes renais crônicos, que já sofrem bastante com a enfermidade", afirmou.
Ele disse que o governo de Sergipe está disposto a colaborar com a regulamentação e credenciamento do Centro de Hemodiálise junto ao Sistema Único de Saúde (SUS), uma vez que todo paciente renal tem a garantia de atendimento do SUS.

Jackson Barreto ressaltou que os hospitais regionais também estão aptos para atuarem na retaguarda do atendimento do pacientes. "Reformamos e colocamos os hospitais regionais em funcionamento para dar mais conforto aos que buscam assistência médica e residem no interior, bem como para desafogar o Huse", salientou.
O médico e um dos sócios do Centro de Hemodiálise, Paulo Tarcísio Azevedo Melo, relatou que a ideia de se fazer uma clínica dessa natureza na região foi de um paciente junto com o prefeito de Estância, Carlos Magno. Ele disse que buscou a parceria com os demais sócios e idealizaram a clínica que vai atender os pacientes oferecendo tratamento de ponta. Segundo Paulo Azevedo, a máquina de diálise a disposição dos pacientes da região centro sul tem somente três no país.
"A iniciativa privada se alia ao poder público para oferecer uma saúde de qualidade à população. Iniciativas como essa não podem existir coloração política", afirmou o médico.
O prefeito de Estância, Carlos Magno, elogiou a atitude dos profissionais da saúde em apostar num alto investimento num momento de crise. "A iniciativa da equipe demostra o compromisso que tem com a saúde e com o desejo de oferecer uma melhor qualidade no atendimento aliado ao conforto para os pacientes renais", acentuou.

Centro - O Centro de Hemodiálise vai começar a operar a partir de março. O serviço vai funcionar com equipamentos de fabricação alemã de última geração. A estrutura do centro é composta por 21 máquinas, sala destinada a treinamento de diálise peritoneal, sala de emergência destinada a possíveis intercorrências durante a diálise, equipes multidisciplinares formadas por enfermeiros, nutricionista, assistente social, psicólogo, e osmose destinada ao tratamento de água para diálise.
O Centro vai contar também com três hospitais de retaguarda, sendo dois na região e um na capital, quando se fizer necessária a internação de pacientes em decorrência de intercorrências. Já estão aptos a colaborar o Hospital e Maternidade Santa Isabel, Hospital Amparo de Maria (HRAM) e Hospital Regional de Estância Dr. Jessé De Andrade Fontes. Cada hospital tem uma máquina e osmose portátil.
A Clínica e Medicina Laboratorial (Medlabor), em parceria com a Nefrologia de Estância (Nefroes), vai ofertar o serviço, e a Prefeitura Municipal de Estância realizará a compra dos insumos por meio dos recursos de alta e média complexidade do Ministério da Saúde.
O serviço atenderá a pacientes residentes em Estância, Umbaúba, Tomar do Geru, Santa Luzia do Itanhi, Arauá, Boquim, Cristinápolis, Indiaroba, Itabaianinha e Pedrinhas. Todos os pacientes são credenciados para o atendimento gratuito pelo SUS.