Cinema com 'M' maiúsculo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Olhar autoral
Olhar autoral

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 00/00/0000 às 00:00:00

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br

O mulherio falando grosso no audiovisual da aldeia. Mais do que um recorte de gênero, a mostra promovida a partir de hoje pelo Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira (NPDOV) realiza uma espécie de testemunho. Na diversidade de olhares femininos sobre temas diversos, uma voz altiva, em diálogo com o resto do mundo.
Na abertura da Mostra, o Super-8 produzido em Sergipe, numa abordagem em primeira pessoa de Moema Pascoini. Biscoito fino.
O Super-8, firme e forte - Documento e invenção. 'Super Frente, Super-8' (2015) é dos raros filmes do gênero dotado de uma sensibilidade autoral muito saliente. Mais do que resgatar um intervalo precioso na intermitente produção audiovisual sergipana, o exercício de metalinguagem desenvolvido aqui parece orientado por desígnios de ordem estética e visual que acabam por reanimar a experiência em tela. O modus, além do relato puro e simples.

Uma questão de escolhas. Embora não tenha participação efetiva nos episódios evocados, Moema acaba falando, por assim dizer, em primeira pessoa. Há, alto e claro, o depoimento dos protagonistas inquestionáveis da história. Personagens do quilate do professor Caio Amado e a jornalista Ilma Fontes, para citar dois exemplos. É o fascínio evidente da diretora pela luz esmaecida de um período distante, contudo, o principal condutor da narrativa.

Experimental, sem perder a ternura. As ferramentas e a abordagem eleitas nessa (re) construção coletiva da memória são determinantes na comunicação pretendida com o expectador do filme. O impulso da realização, o feeling, o tom lavado da projeção e o ruído insistente da câmera são tão expressivos quanto as histórias compartilhadas. Nostalgia define.
O passado em convivência íntima com as possibilidades do agora. Para abordar a formação do movimento superoitista na terrinha, o documentário investe numa espécie de intersecção temporal. Moema mescla dois tempos ao provocar a movimentação dessa história. Os realizadores são convidados a voltar filmar, assumindo a proposta de fazer do documentário uma criação coletiva e amadora. O super-8, super vivo. Eis a grande sacada do filme.

Confira a Programação completa:

Dia 8 de março - terça-feira - 15h

Super frente, Super8 | dir. Moema Pascoini
19min | doc | 2015 I livre

Marisqueiras I dir. Jade Moraes
26min I doc I 2014 I livre

Tiro, Pólvora e Canção - Uma história contada I dir. Luize Emanuelle, Marla Galdino e Sivuca Junior
29min I doc I 2016 I livre

Diana I dir. Manoela Veloso
15min I fic I 2015 I 12 anos

Dia 10 de março - quinta-feira - 15h

Judith Melo I dir. Fátima Góes e Gabriela Caldas
15min I doc I 2016 I livre

Marizete I dir Amanda Amaro, Diogo Teles e Vivian Soraya
15min I doc I 2016 I livre

Conflitos e Abismos I dir. Everlane Moraes
15min I doc I 2014 I livre

Jardim I dir. Fernanda Almeida
23min I doc I 2016 I livre
Dia 12 de março - sábado - 10h

Programa Olhares Femininos

Cartão Vermelho I dir. Laís Bodansky
14min I fic I 1994 I 16 anos

3 Minutos I dir. Ana Luiza Azevedo
6min I fic I 1999 I 16 anos

Messalina I dir. Cristiane Oliveira
14min I fic I 2004 I 16 anos

Desventuras de um Dia ou a Vida não é um Comercial de Margarina I dir. Adriana Meirelles
10min I ani I 2004 I 16 anos

Dalva I dir. Caroline Leone
10min I fic I 2004 I 16 anos

Estória Alegre I dir. Cláudia Pucci
9min I fic I 2002 I 16 anos

SERVIÇO
Cineclube NPD - II Mostra Mulheres na Direção
Dias 08 e 10 às 15h
Dia 12 às 10h
Local: Centro Cultural de Aracaju (Praça General Valadão, 134 - Centro)