Após escândalo, Chico Buarque proíbe que Claudio Botelho utilize suas músicas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/03/2016 às 14:14:00

O ator Cláudio Botelho causou revolta durante uma apresentação do musical "Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 minutos", em homenagem ao cantor, em um Sesc em Belo Horizonte. No sábado (19), o ator fez um comentário sobre o atual momento política, citando os nomes do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff.
O ator sugeriu a prisão de Lula e chamou a presidente de "ladra". O público não perdoou a interrupção e logo gritos clamavam: "Não vai ter golpe". Em um vídeo gravado por um dos espectadores, é possível ouvir: "Eu quero meu dinheiro de volta". O elenco não conseguiu terminar a apresentação.
No dia seguinte, o Sesc Palladium lançou uma nota oficial em sua página no Facebook sobre o ocorrido. A instituição ressaltou que o Sesc, a Pólobh e demais instituições envolvidas são apartidárias. A nota comunica ainda que a empresa compreende o momento pelo qual o País está passando e decidiu cancelar a encenação deste domingo (20) por primar pela "segurança de todos".
Um áudio vazado do ator após o escândalo só piorou a situação. Ele faz a seguinte declaração, que também gerou polêmica: "O ator que está em cena é um rei. Não pode ser peitado por um negro, por um filho da put*. Eu estava fazendo ficção". Na gravação, o ator está discutindo com a atriz Soraya Ravenle, que diz não concordar com ele, uma vez que ele misturou ficção com realidade.