Doadores são recebidos com café da manhã no Hemose

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/06/2012 às 11:49:00

Cândida Oliveira
candidaoliveira@jornaldodiase.com.br

Um atendimento caloroso e um farto café da manhã, foi assim que todos os doadores que estiveram ontem, dia 14, no Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose), foram recepcionados. É porque a data não poderia passar em branco, afinal era o Dia Mundial do Doador Voluntário de Sangue. A data comemorada anualmente tem como objetivo reforçar a importância da contribuição dos cidadãos que, voluntariamente, salvam vidas por meio de um gesto simples - o ato da doação de sangue.
Mesmo com um dia tão importante no calendário, não há muito a se comemorar, pois o estoque de sangue atual não é dos melhores. O hemocentro está com estoque de 222 bolsas de sangue, quando no mínimo são necessárias 350 bolsas de sangue.
A ação de confraternização foi organizada por duas associações de doadores, uma de Nossa Senhora da Glória e outra de Canindé de São Francisco. Em Sergipe, uma das associações mais antigas fica em Nossa Senhora da Glória, que possui 120 doadores.
Salvar vidas - O presidente da Associação de Doadores de Sangue de Nossa Senhora da Glória, David Sales, contou que a ideia de criação da associação começou com o sentimento de salvar vidas. "São pessoas que querem salvar vidas, que se encontram distante da capital, e a associação tem o papel de intermediar o transporte dessas pessoas. Deixamos os moradores do Alto Sertão mais próximos do Hemose e, assim, ajudamos a salvar vidas", explicou.
Adriana Tavares aproveitou a data para fazer sua doação. "Você só percebe a importância do ato quando alguém da sua família precisa de sangue. Como não sei o dia de amanhã estou fazendo minha parte hoje".
Segundo o Ministério da Saúde, apenas 1,9% da população faz doação de sangue regularmente. Na data em que se comemora o Dia Mundial do Doador Voluntário de Sangue, o superintendente do Hemose, José Alberto Barreto, faz um apelo para que a população procure o centro e faça a doação de qualquer tipo sanguíneo.
Para suprir a necessidade de sangue da rede hospitalar do Estado é necessário que uma média de 120 a 150 pessoas façam a doação diariamente. Atualmente, a média de doadores que procuram o Hemose é de 70 a 90 pessoas.
Nesse período de festejos juninos a demanda de sangue pelas unidades hospitalares aumenta e as pessoas tendem a não doar. A maior necessidade são os fatores de RH negativo. De acordo com José Alberto, o período junino é mais crítico nos hemocentros do Nordeste, por conta das festas juninas. "As pessoas se esquecem de doar no momento em que mais precisamos de sangue", relatou.
 
UTI Riso - Quem também participou da comemoração foram os integrantes do UTI Riso. "Essa é uma forma de agradecermos os verdadeiros heróis anônimos que a sociedade tem, e aproveitamos para conclamar todos a virem doar sangue, que é um gesto nobre", disse Dr. Cibaleno.
Não é difícil doar sangue, basta ter mais de 50 quilos, ter entre 18 e 67 anos. Os menores de 18 anos - entre 16 e 18 anos - precisam da autorização dos pais. Os homens podem doar a cada três meses e mulher a cada quatro meses. Quem for fazer sua doação, não pode ter ingerido bebida alcoólica 12h antes.
O Hemose funciona de segunda a sexta feiras das 7h às 17h. Sábados e feriados de 8h às 12h.