Ana Lúcia convida a população para a resistência contra golpe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/04/2016 às 00:35:00

"A senzala vai começar a descer e não vai sair mais das ruas". Foi esse o tom do discurso da deputada estadual Ana Lúcia nesta quinta-feira, 14, na tribuna da Assembleia Legislativa de Sergipe, sobre o golpe de Estado que está sendo articulado no Brasil pela direita conservadora, pela justiça, pela grande mídia e pelo empresariado.
 "Se ela não descer na sua totalidade neste domingo, ela vai descer até que a gente assegure e avance nos nossos direitos. Nós não vamos mais aceitar o retrocesso", continuou a parlamentar, explicando que a senzala representa os povos oprimidos e os lutadores do povo que travam batalhas cotidianas, que pensam e elaboram em busca da libertação do nosso povo.
Ana Lúcia convidou todos os sergipanos que defendem os valores democráticos para se somar às manifestações dos artistas e da intelectualidade sergipana contra o golpe que acontecem nesta sexta, 15, e neste domingo, 17. "O que está em jogo é a democracia e os princípios constitucionais; é a possibilidade do retrocesso, dos coronéis voltando a mandar, de o empresariado impondo as leis do mercado em detrimento aos direitos sociais", alertou a parlamentar.
A convite do coletivo Advogados pela Democracia, quatro grande intelectuais e professores universitários dos campos do direito, sociologia e filosofia de Sergipe irão realizar uma aula pública sobre democracia. A atividade acontece nesta sexta-feira, 15, às 16h, na Praça Fausto Cardoso. "A praça Fausto Cardoso simboliza os três poderes republicanos", apontou.
Ana Lúcia convidou também para o grande ato "A Arte abraça a democracia" realizado neste domingo, 17, por artistas sergipanos das mais diversas expressões. A concentração da manifestação cultural começa ao meio dia nos Arcos da Orla de Atalaia. Os shows com 19 bandas e artistas solo engajados na luta contra o golpe têm início às 14h.
 "Como militante social durante toda a minha trajetória, agradeço a essa juventude que está se rebelando pelas ruas, a esses artistas e intelectuais que estão protagonizando a luta em defesa da democracia", agradeceu Ana Lúcia.

Dois pesos, duas medidas - Ana Lúcia criticou a justiça e a indignação seletiva, ao lembrar que 35 dos 38 deputados federais que irão julgar o processo de impeachment no próximo domingo respondem por crimes. "Temos um congresso onde centenas de parlamentares respondem processos por improbidade administrativa, por corrupção ou por uso de recurso público para comprar votos. São estes deputados que julgarão um crime de responsabilidade que todos os grandes juristas deste país afirmam que é um golpe", criticou.
Ela se solidarizou com o deputado federal Fábio Mitidieri, que após anunciar seu voto contra o golpe, passou a ser agredido das redes sociais. "A dignidade da pessoa humana foi extremamente aviltada nas redes sociais contra o deputado Fábio Mitidieri", lamentou a parlamentar.
Ana Lúcia questionou ainda os outdoors que circularam em Aracaju desde ontem contendo falsas acusações contra a presidenta Dilma e contendo ainda fotos dos deputados sergipanos Laércio Oliveira, André Moura e Valadares Filho. Os outdoors afirmam que 'Dilma ofereceu um milhão e eles disseram não'. "Isso é prevaricação. Eles são autoridades constituídas de um poder. Quem colocou este outdoor? Tem ou não autorização? Se Dilma ofereceu um milhão, eles vão ter que provar", questionou.