Aracaju é destaque por práticas sustentáveis na Rio+20

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/06/2012 às 11:55:00

O Projeto Integrado do bairro Coroa do Meio, desenvolvido pela Prefeitura de Aracaju, será apresentado na Conferência Rio + 20, como um exemplo de projeto voltado para sustentabilidade e desenvolvimento social. As ações de urbanização e preservação ambiental da área servirão de referência para gestores de outras cidades brasileiras, que terão a oportunidade de conhecer os detalhes de todo complexo urbanístico, construído na faixa de manguezal que margeia a avenida Antônio Góis.
A escolha dos melhores projetos de sustentabilidade aconteceu durante reuniões preparatórias da Conferência Rio + 20, realizada ainda na semana passada. Na oportunidade do encontro, o secretário municipal de Planejamento, Dulcival Santana, participou das discussões com secretários e gestores de outras capitais brasileiras, conhecendo de perto os projetos ambientais desenvolvidos por cada cidade e apresentando as ações de desenvolvimento sustentável empreendidos na capital sergipana.
"Tivemos a oportunidade de conhecer um pouco o que algumas cidades vêm desenvolvendo no âmbito de políticas e projetos voltados para a sustentabilidade. Entre as experiências apresentadas, Aracaju foi elogiada por realizar um projeto que propiciou o desenvolvimento da comunidade local, sem deixar de preservar o ecossistema natural. Para quem se recorda, aquela área antigamente possuía moradias precárias construídas às margens do manguezal, sem um planejamento sanitário e de higiene adequados", relembra.

Inovação - Ainda segundo o secretário, a inovação do projeto urbanístico da Coroa do Meio já foi responsável por garantir a conquista de prêmios de reconhecimento social, como o de 'Objetivo do Milênio' e 'As melhores Práticas de Governança'. Agora, pelo seu destaque na área ambiental, o projeto também será contemplado com o título de 'Prática de Gestão Ambiental'.  
"Além da retirada de famílias residentes em áreas de risco na área, o Projeto Integrado da Coroa do Meio ainda permitiu a construção de uma nova via de acesso às comunidades locais e a revitalização de todo o complexo próximo à região do mangue. Sem contar que o local é bastante utilizado por pescadores e catadores de mariscos, permitindo a criação de um potencial econômico na região e até uma nova de área de lazer para a população", explica Dulcival.