Sem a espera do final de maio

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O senador Antônio Carlos Valadares (PSB), em conversa com a coluna, garantiu que não tem nenhuma disputa entre ele, o senador Eduardo Amorim (PSC) e o deputado federal André Moura (PSC) pela Codevasf. Revela que já está definido que a Companhia ficará a n
O senador Antônio Carlos Valadares (PSB), em conversa com a coluna, garantiu que não tem nenhuma disputa entre ele, o senador Eduardo Amorim (PSC) e o deputado federal André Moura (PSC) pela Codevasf. Revela que já está definido que a Companhia ficará a n

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 17/05/2016 às 00:08:00

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB), em conversa com a coluna, garantiu que não tem nenhuma disputa entre ele, o senador Eduardo Amorim (PSC) e o deputado federal André Moura (PSC) pela Codevasf. Revela que já está definido que a Companhia ficará a nível nacional com o PSB e que hoje, como líder da bancada do seu partido no Senado, terá reunião pela manhã com o ministro Helder Barbalho (Integração Nacional) para tratar da participação do seu partido na Codevasf.
Explica Valadares que o PSB indicou no primeiro mandato de Dilma Rousseff o Ministério da Integração Nacional e que foi oferecido ao partido o mesmo ministério, mas como o PMDB resolveu querer a Integração o PSB acabou ficando com o das Minas e Energia. "Como esse ministério não tem muita representatividade no Nordeste, o PSB vai ficar com a Codevasf. Ainda não temos nomes", disse.

Sem a espera do final de maio

Faltam 15 dias para o final de maio, prazo estabelecido pelo próprio governador Jackson Barreto (PMDB) para definição do seu candidato a prefeito de Aracaju nas eleições deste ano. Mas os aliados de JB já estão se antecipando nas decisões políticas, mediante a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.
O primeiro foi o deputado federal Valadares Filho (PSB), que votou pelo impedimento da presidente Dilma. Ele descartou uma aliança com o PT, que já tinha indicado Eliane Aquino como vice, pela conjuntura nacional quando o seu partido faz oposição ao Partido dos Trabalhadores.
Depois, na conversa com Jackson no início do mês, Valadares Filho entregou os cargos do PSB no governo com a alegação de deixá-lo à vontade na escolha do seu candidato a prefeito, assim como o próprio partido na busca por aliados. Isso selou qualquer possibilidade do apoio de JB a VF no primeiro turno, que já tem oficializado o apoio do PSD e PROS.

Agora é o PT que deve indicar a ex-primeira dama Eliane Aquino como vice de Edvaldo Nogueira (PCdoB). A própria Eliane tem preferência pelo nome do candidato comunista, pelo fato do seu partido a nível nacional ter se mantido aliado do PT no processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.  
O secretário nacional de finanças do PT, ex-deputado federal Márcio Macedo, também defende que o seu partido apoie Edvaldo Nogueira não só pelo PMDB a nível nacional ter comandado o impedimento de Dilma, mas por achar que o foco maior é derrotar nas urnas o prefeito João Alves Filho (DEM). Avalia que Edvaldo tem mais chance que o ex-secretário Zezinho Sobral (PMDB).

Por outro lado, o presidente estadual do PT, ex-deputado federal Rogério Carvalho, o deputado federal João Daniel e o líder do governo na Assembleia, Francisco Gualberto, defendem que o partido apoie o candidato do governador, que caminha para Zezinho Sobral.
O PT está dividido. Mas como hoje é Márcio Macedo quem tem maioria no partido, na convenção da legenda os petistas devem mesmo decidir por Edvaldo Nogueira. Ainda tem os votos da corrente da deputada estadual Ana Lúcia, que defende o rompimento do PT com o governo de Jackson Barreto, já fazendo, inclusive, oposição a ele na Assembleia Legislativa.

Diante deste cenário, na convenção municipal do PT o partido deve mesmo referendar apoio a Edvaldo Nogueira indicando Eliane Aquino como vice e não Zezinho Sobral.
Trocando em miúdos, cinco dos 11 partidos da base aliada do governador já estão com um rumo praticamente definido nas eleições municipais deste ano: PSD e PROS vão apoiar o candidato do PSB e PT vai apoiar o candidato do PCdoB.
Caberá ao governador Jackson Barreto decidir se vai insistir na candidatura de Zezinho Sobral, como deseja o PMDB, buscando o apoio dos outros partidos aliados como o PDT do prefeito Fábio Henrique e o PRB do prefeito Heleno Silva ou apoiar Edvaldo Nogueira.
Agora é só aguardar o final de maio...

 

Decisão ideológica    
Da ex-primeira dama Eliane Aquino (PT), viúva do ex-governador petista Marcelo Déda, ao ser indagada no sábado passado pela coluna se prefere ser pré-candidata a vice de Edvaldo Nogueira (PCdoB) ou Zezinho Sobral (PMDB): "Não estarei no mesmo palanque que Michel Temer". Para bom entendedor meias palavras bastam.

Dedução lógica
Caso haja uma reviravolta para o PT apoiar Zezinho Sobral e não Edvaldo Nogueira, a Eliane Aquino não deve aceitar ser a vice do candidato do PMDB, apesar do respeito e consideração que tem pelo governador Jackson Barreto (PMDB), que é contrário ao impeachment, e ao próprio Zezinho. Eliane, com certeza, quer preservar a memória de Marcelo Déda, pois os petistas hoje vêm Michel Temer e seu partido como "golpistas".

Encontro
No sábado passado, o secretário nacional de finanças do PT, Márcio Macedo, e o pré-candidato a prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), almoçaram em um restaurante próximo ao Aeroporto de Aracaju. No cardápio a sucessão municipal em que Márcio deseja levar o PT para uma aliança com o PCdoB.  
Otimista
Edvaldo já conta com o apoio do PT, apesar do partido ainda ter que decidir isso na convenção municipal. Considera Eliane Aquino um "excelente nome" para compor sua chapa na condição de vice.

Só elogios
"O nome de Eliane é o mais adequado. Além de encarnar os ideais de mudanças que nossa cidade clama por acontecer, Eliane possui atributos valiosos para cogerir a cidade. Uma visão social aguçada, uma inclinação natural para servir ao povo, sobretudo o povo mais pobre que precisa do amparo do poder público, e uma sensibilidade que hoje está faltando na condução de Aracaju. Sei que numa aliança de partidos a escolha do vice é resultado dos entendimentos, mas eu não tenho dúvida que o seu nome reúne as melhores condições. Torço e trabalho para que isso aconteça", afirma Nogueira.

Nota do PT 1
No início da tarde de ontem o presidente do Diretório Municipal do PT, Emmanuel Nascimento, e o presidente do Diretório Estadual do PT, Rogério Carvalho, saíram com nota explicando que o Diretório de Aracaju abre o debate interno sobre as eleições municipais 2016 na capital no dia 1º de junho.
Nota do PT 2
Diz ainda a nota que esgotados os debates internos, a definição do PT será objeto de discussão com o coordenador do bloco, que é o governador Jackson Barreto. E que até que haja o encerramento das discussões internas e essa reunião com o governador, todas as declarações sobre o tema são de caráter especulativo de quem as publicar, não recebendo endosso ou aval das instâncias do partido.

Novo apoio
Ontem, no início da noite, o PROS oficializou apoio à pré-candidatura de Valadares Filho a prefeito de Aracaju. O ato, bastante concorrido, foi realizado na sede do PSB e contou com as presenças de lideranças do PROS, PSD e PSB, além dos pré-candidatos a vereador dos três partidos e a militância.

Chance de retornar a Câmara
O PROS, que integra a base aliada do governador Jackson Barreto, é presidido em Sergipe pelo ex-deputado federal Bosco Costa, que vem a ser suplente de Valadares Filho na Câmara dos Deputados. No caso de VF ser eleito prefeito da capital, Bosco assume seu mandato em Brasília.
Comemorando
Em conversa ontem com a coluna, Valadares Filho externou sua satisfação com a adesão do PROS ao seu nome. "O PROS consolida cada vez mais nossa candidatura. O partido tem tempo de televisão e grandes lideranças como Acival Gomes, Bosco Costa e Moritos Matos. Está com uma boa chapa de vereador", afirmou, enfatizando que o partido é mais um com representatividade que vem para fortalecer o projeto.

No tempo certo
Segundo Valadares, as conversas estão acontecendo com muita tranquilidade. "O diálogo continua no mesmo ritmo, muito tranquilo desde o início do projeto", frisa.

Socorro 1
Na próxima sexta-feira o governador Jackson Barreto se reunirá com o pré-candidato a prefeito de Nossa Senhora do Socorro, deputado estadual padre Inaldo (PCdoB), e os vereadores Vagnerrogeris Lima e Jairo Joaquim. Vão discutir a sucessão municipal no município.
Socorro 2
Informações chegadas à coluna dão conta que o governador já definiu pelo apoio ao padre Inaldo, tendo como vice o vereador Betinho (PMDB). Mas que o ex-prefeito e pré-candidato a prefeito Zé Franco (PSDB) tenta manter a aliança com o aliado padre Inaldo e tem propostas.

Socorro 3
No encontro, os vereadores devem apresentar duas propostas ao governador. São elas: Zé Franco ser o candidato a prefeito tendo Betinho como vice, com a garantia de apoio a padre Inaldo para prefeito em 2020 ou o Padre Inaldo ser o candidato majoritário tendo como vice Manelito, filho de Zé Franco, com o compromisso de fazer Betinho, sendo reeleito vereador, presidente da Câmara Municipal.    

Líder do governo 1
A imprensa nacional noticiou ontem que a escolha do líder do governo federal na Câmara dos Deputados virou alvo de disputa entre o presidente interino Michel Temer e o presidente da Câmara afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por decisão do Supremo Tribunal Federal. Isso porque Cunha quer que o líder seja o deputado federal André Moura (PSC-SE) e Temer deseja o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Líder do governo 2
André representa o grupo de partidos conhecidos como centrão, integrado também por PR, PP, PSD e PTB. Já Maia conta com o patrocínio de Moreira Franco, braço direito de Temer que, atualmente, é responsável pelo Programa de Parceria de Investimentos do governo. Ele também representa alguns partidos que fizeram oposição ao governo Dilma, como DEM, PSDB e PPS, que se posicionaram a favor do afastamento de Cunha da presidência da Câmara.

Líder do governo 3
Segundo informações do UOL a disputa entre os dois grupos tem desagradado aos ministros palacianos e será motivo de discussão com o presidente em exercício ao longo desta semana. A avaliação é de que não dá para a liderança de governo virar alvo de disputa dentro da base de Temer logo na sequência de ele assumir a Presidência da República.

Líder do governo 4
Publica ainda o UOL que apesar do descontentamento com a cizânia, dentro do Palácio do Planalto Maia é visto como o nome mais cotado para assumir a liderança do governo, principalmente porque ajudaria a desvincular, em parte, as imagens de Temer e Cunha.

Líder do governo 5
No entanto, como Temer tampouco quer se indispor com Cunha, que ainda mantém grande influência na Câmara, uma das alternativas estudadas para evitar desgastes iniciais na base aliada é dividir as atribuições entre os dois deputados. Nesse sentido, Moura ficaria como primeiro vice-líder do governo e atuaria mais na costura dos acordos e articulação nos bastidores para a votação das propostas de interesse. Já Maia desempenharia uma função de embate ideológico e enfrentamento da oposição na tribuna da Casa.

Curtas
O senador Eduardo Amorim (PSC), pré-candidato a prefeito de Aracaju, criticou ontem a gestão do prefeito João Alves (DEM). Disse que deixa a desejar e que a crise nacional não pode ser usada como justificativa, mediante a boa administração que vem sendo feita pelos prefeitos das duas capitais vizinhas: Salvador e Maceió.

Aproveitando o governo interino de Michel Temer e o fato da senadora Maria do Carmo (DEM) ter reassumido o Senado somente para votar pela admissibilidade do impeachment de Dilma, o prefeito João Alves viajou ontem a Brasília. Vai percorrer ministérios hoje em busca de recursos para Aracaju.

Nas rodas políticas existe um consenso de que João Alves deu um "tiro no pé" ao implantar em Aracaju os radares móveis. A avaliação é que na tentativa de arrecadar mais dinheiro para o município ele pode se dar mal, pelo período eleitoral. Até vereadores da base aliada estão chateados.

A União Brasileira de Mulheres (UBM) em Sergipe declarou apoio à pré-candidatura de Edvaldo Nogueira (PC do B) a prefeito de Aracaju. Foi durante encontro realizado no último sábado (14), no bairro América.