A opção de JB

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O secretário Adilson Júnior (Turismo) comemorou ontem a parceria com a TV Record, em São Paulo, para realizar em junho reportagens sobre Sergipe para o programa Câmera Record, exibido em rede nacional. Disse que o objetivo maior é consolidar Sergipe como
O secretário Adilson Júnior (Turismo) comemorou ontem a parceria com a TV Record, em São Paulo, para realizar em junho reportagens sobre Sergipe para o programa Câmera Record, exibido em rede nacional. Disse que o objetivo maior é consolidar Sergipe como

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 21/05/2016 às 00:19:00

O secretário Adilson Júnior (Turismo) comemorou ontem a parceria com a TV Record, em São Paulo, para realizar em junho reportagens sobre Sergipe para o programa Câmera Record, exibido em rede nacional. Disse que o objetivo maior é consolidar Sergipe como um novo destino atrativo para o turista interessado em poder desfrutar das mais diferentes formas de práticas turísticas oferecidas em roteiros diversificados.
Segundo Adilson, o programa terá a duração de 60 minutos e vai focar suas reportagens nos principais roteiros turísticos sergipanos, incluindo Aracaju, Cânion de Xingó, litorais sul e norte do estado, bem como artesanato, cultura e gastronomia. Revela que está sendo discutida a vinda da apresentadora do programa Esporte Fantástico, a jornalista Mylena Ciribelli, para gravar várias matérias ligadas ao esporte.
Adilson decide na próxima semana se deixa o Turismo até 02 de junho para se candidatar a prefeito de São Cristóvão. Terá uma conversa antes com o governador.

A opção de JB

Até o início deste mês a base aliada do governador Jackson Barreto (PMDB) tinha três pré-candidatos a prefeito de Aracaju: Edvaldo Nogueira (PCdoB), Valadares Filho (PSB) e Zezinho Sobral (PMDB). VF saiu do páreo quando, como presidente estadual do PSB, entregou os cargos que o partido tem no governo sob a alegação de querer deixar JB à vontade para a escolha do seu candidato e ele próprio para fazer as negociações políticas.
Hoje, faltando 10 dias para o final de maio - prazo estabelecido pelo governador para escolha do seu candidato a prefeito - estão no páreo Zezinho e Edvaldo. Alguns aliados de Jackson acreditam que ele vai desistir da pretensão de apoiar o candidato do seu partido em favor do ex-prefeito comunista, por acreditarem que é o nome mais viável para derrotar nas urnas o prefeito João Alves (DEM).

O atual cenário político não mostra isso.  Por trás das cortinas o que se ver é Zezinho candidatíssimo a prefeito com o incentivo do próprio governador e apoio das lideranças do PMDB, mesmo havendo uma possibilidade concreta da ex-primeira dama Eliane Aquino (PT) não vir a ser sua vice, mas de Edvaldo Nogueira por não desejar estar no mesmo palanque do presidente interino Michel Temer, que é considerado por petistas como um dos "golpistas" do processo de impeachment da presidente Dilma.
Lideranças do PMDB não demonstram a possibilidade de recuo no nome de Zezinho e nem ele próprio, que continua com as suas andanças diárias pelos bairros da capital sergipana e participando de várias reuniões com lideranças comunitárias e de categorias. O presidente estadual do PMDB, João Augusto Gama, já declarou várias vezes que a pré-candidatura de Zezinho é irreversível e uma prioridade do partido.

Vale ressaltar o lançamento da pré-candidatura de Zezinho no final de abril e o apoio na última quinta-feira do presidente estadual do PSD, deputado estadual Jeferson Andrade ao seu nome, quando o PSD municipal já tinha declarado apoio a Valadares Filho no início do ano. Estavam presentes Gama e as lideranças peemedebistas: o presidente da Assembleia Legislativa Luciano Bispo, o empresário Marcos Franco e o prefeito Juca de Bala (Laranjeiras).
Como Eliane Aquino não tem demonstrado mais interesse em ser vice de Zezinho Sobral pela conjuntura nacional, mas de Edvaldo, o governador - que faz política há mais de 50 anos - já deve ter um plano B. Como ele se reaproximou muito do deputado estadual Robson Viana, não é difícil de imaginar que o parlamentar pode ser a sua opção para ser o vice do PMDB.  

Não há dúvidas que Robson - que com a abertura da janela partidária deixou o PMDB e se filiou ao PEN, partido que preside no Estado - soma muito como vice pelo trabalho nas comunidades, junto aos jovens e artistas. Em 2014 ele conquistou 15 mil votos para deputado estadual só em Aracaju e em 2012 foi o vereador mais votado. O parlamentar, inclusive, é o vice dos sonhos do prefeito João Alves (DEM).
Não será surpresa se com a chapa Zezinho/Robson e alguns acordos políticos, o PT venha a apoiar esses nomes nas eleições municipais em Aracaju. Quem mais vai trabalhar nessa direção é o presidente estadual do PT, ex-deputado federal Rogério Carvalho.
É como diz o pensador Magalhães Pinto: "Política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou".

Bem entrosados 1
Nessa última semana o governador Jackson Barreto (PMDB) e o deputado estadual Robson Viana (PEN) se encontraram várias vezes. No domingo passado Robson foi a Indiaroba com JB e se comprometeu a apoiar o pré-candidato a prefeito do PMDB no município, Adinaldo. Ele também vai apoiar os pré-candidatos peemedebistas em Rosário do Catete (Monteirinho) e Nossa Senhora das Dores (Tiago).
Bem entrosados 2
Na segunda-feira o deputado teve audiência com o governador, no Palácio de Veraneio. Na última quinta-feira acompanhou Jackson a Maceió, onde foi participar da reunião de governadores do Nordeste. E ontem foi com JB a Itabaiana, onde foi inspecionar obras de esgotamento e drenagem no município, com investimento superior a R$ 67 milhões.

Ponto de vista
Na conversa que teve essa semana com a coluna, Robson disse que foi até melhor para o governador ele estar filiado ao PEN por contar com o apoio da legenda. "Tenho dito nas andanças políticas que meu partido é o PENMDB", disse, enfatizando que não via problema algum em ser aliado do governador e do prefeito João Alves, e que sabia separar as coisas.

Grande frustração 1
Em Maceió, na reunião de governadores, Jackson Barreto - como um dos sete governadores do PMDB - prestou entrevista à imprensa e não poupou críticas ao ministério do presidente interino de Michel Temer. "Não gostei. Tanta gente da Lava Jato?! Não era combate a corrupção? Temo [retrocessos] porque a cara do ministério não é cara de compromisso social."

Grande frustração 2
De JB ao ser questionado se o governo Temer era legítimo: "Não vou entrar nesse mérito. Temos que discutir a quebra do processo democrático. Eu me sinto frustrado em ter sido um combatente contra a ditadura, ser um preso político, ser julgado na auditoria militar, sofrer todo tido de perseguição e, depois de tanta luta, ver a quebra desse processo democrático".

Grande frustração 3
Do governador sobre o seu partido, o PMDB: "Está meio partido, espero que se reencontre. Existe só um lado que não está perdido, mas não acho que são muitos [integrantes]".

Grande frustração 4
Para Jackson, Temer é um nome importante do PMDB, mas pecou pelas convivências escolhidas para o governo. "Sempre convivi bem com ele, disse várias vezes que era uma boa ele ser presidente do partido, era um professor de direito constitucional respeitado", disse.

O otimismo de Edvaldo 1
O pré-candidato a prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) continua confiante no apoio do governador Jackson Barreto. Chegou a postar nas redes sociais: "Saio das conversas com Jackson Barreto ciente de que serei o candidato apoiado por ele. O governador nunca me insinuou isso, é minha opinião."
O otimismo de Edvaldo 1
Postou ainda ontem: "Eu atendo os critérios de Jackson Barreto: sou capaz de derrotar João, tenho identidade com o grupo e tenho perspectiva política."

Mais na frente
O pré-candidato a prefeito de Aracaju, senador Eduardo Amorim (PSC), disse ontem que ainda não tem data marcada para o anúncio da sua pré-candidatura, mas está bem próximo disso.

Homenagem
Nessa sexta-feira, o senador Eduardo, natural de Itabaiana, recebeu o título de cidadão aracajuano, na Câmara Municipal de Aracaju. A iniciativa do título foi do vereador José Gonzaga (PMDB).

Cultura
Informações chegadas à coluna dão conta que o PT da corrente do secretário nacional de finanças do partido, ex-deputado federal Márcio Macedo, tenta ganhar espaço no governo com a saída do PSB. Pleiteia a Secretaria da Cultura, antes comandada por Elber Batalha, e indica para a pasta o nome do petista Pedro Lopes, que foi secretário de governo de Marcelo Déda.    

Veja essa...
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquérito para investigar o ministro do Planejamento Romero Jucá, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e os senadores Valdir Raupp (PMDB-RO) e Jader Barbalho (PMDB-PA). Os peemedebistas são suspeitos de integrar um esquema de pagamento de propina na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

Curtas
Informações chegadas ontem à coluna dão conta que na última quarta-feira o prefeito Fábio Henrique (PDT-Socorro) e o ex-prefeito Zé Franco (PSDB) jantaram juntos. E fecharam acordo sobre as eleições municipais em Socorro.

Deu ontem na coluna de Ilimar Franco: "Queda de braço entre o líder do PSB no Senado, Antonio Carlos Valadares, e o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira. Os dois querem indicar o futuro presidente da Companhia de Desenvolvimento do São Francisco (Codevasf).

Enquanto o PRB não decide com quem vai nas eleições municipais em Aracaju, o pré-candidato a vereador do partido, professor Anderson Gois, tem andado muito com Zezinho Sobral. Ele, inclusive, tem a simpatia do governador Jackson Barreto

Para o senador Eduardo Amorim, a chegada do deputado federal André Moura (PSC) na liderança do governo na Câmara é fruto do seu desempenho no parlamento e trabalho de interlocução.

O presidente do TSE, o ministro Gilmar Mendes, disse ontem, durante visita ao TRE de São Paulo, que apesar de faltarem cerca de R$ 250 milhões no orçamento da Justiça Eleitoral para a realização do pleito neste ano, não há risco de que as eleições sejam adiadas.