Caiu no esquecimento?

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O vereador Bertulino Menezes (PSB) disse ontem que foi em tom de brincadeira quando falou para o colega parlamentar Bigode (PMDB) que iria torá-lo no Santa Maria, depois de uma sessão em que ele votou contra a aprovação de emendas de sua autoria. \"Qu
O vereador Bertulino Menezes (PSB) disse ontem que foi em tom de brincadeira quando falou para o colega parlamentar Bigode (PMDB) que iria torá-lo no Santa Maria, depois de uma sessão em que ele votou contra a aprovação de emendas de sua autoria. \"Qu

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/05/2016 às 00:47:00

O vereador Bertulino Menezes (PSB) disse ontem que foi em tom de brincadeira quando falou para o colega parlamentar Bigode (PMDB) que iria torá-lo no Santa Maria, depois de uma sessão em que ele votou contra a aprovação de emendas de sua autoria. "Quando falei isso foi no sentido de ir para cima dele junto à população do Santa Maria, mostrar os seus equívocos em não defender os interesses da população, principalmente a mais pobre. Mostrar, por exemplo, que ele votou favorável a um reajuste de 17% do aumento da passagem de ônibus".

Ainda segundo Bertulino, ele não agrediu o vereador. "Bigode não foi correto comigo ao dizer que eu pedi dinheiro para comprar o voto do povo do Santa Maria e fazendo piada que o povo não era mercadoria, nem boi nem vaca. Ele quer aparecer com inverdades, ao invés de gastar o seu tempo trabalhando pela população pobre de Aracaju", afirmou, criticando Bigode por ter se elegido pela oposição e no dia seguinte já estava na bancada do prefeito João Alves aprovando seus projetos contra o povo. 

Caiu no esquecimento?

Na manhã do dia 31 de março deste ano os aracajuanos foram surpreendidos com a Operação Indenizar-se deflagrada pela Polícia Civil e o Ministério Público do Estado (MPE), em cumprimento de mandados de busca e apreensão na Câmara de Vereadores de Aracaju e em mais cinco locais da capital e Barra dos Coqueiros.
Naquele 31 de março 15 dos 25 vereadores da capital e três empresários começaram a ser investigados pelo suposto desvios de verbas indenizatórias, com estimativa de negociações ilícitas em torno de R$ 7 milhões somente em 2013.

Segundo a delegada Daniele Garcia, coordenadora do Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap), os parlamentares ficavam com cerca de R$ 12 mil dos 15 mil mensais que recebiam mensalmente como verba de gabinete.
Explicou que esse dinheiro era respaldado em contratos fictícios de assessoria jurídica e locação de veículos prestados pelo ex-vereador, o advogado Alcivan Menezes, e o seu filho respectivamente. Todo o esquema envolvendo vereadores e empresários se caracterizou em crimes de sonegação fiscal, peculato e lavagem de dinheiro de acordo com a delegada.

Até o dia 08 de abril todos os 15 vereadores foram ouvidos e logo depois os empresários. Apenas falaram durante o depoimento os vereadores Emmanuel Nascimento (PT) e Ivaldo José (PRTB). Os demais se reservaram ao direito constitucional de permanecerem calados, somente falando em juízo.
Ao final das oitivas, a delegada Daniele disse que o inquérito seria concluído em 30 dias. Ao final deste mês serão completados dois meses da deflagração da Operação Indenizar-se e da ouvida dos envolvidos.
Não se pode cair no esquecimento. A sociedade espera pelo resultado do inquérito policial, uma vez que estamos em ano de eleição e é preciso saber se algum vereador de Aracaju, que já está trabalhando na reeleição, está envolvido no esquema fraudulento das verbas de gabinete.
Como a palavra de ordem hoje no país é "impeachment", que sejam impitimado aqueles que colocaram no bolso o dinheiro público. Ninguém aguenta mais conviver com a corrupção praticada pelos seus representantes e ter que pagar a conta mais na frente.

Na lista
Só para não cair no esquecimento, o Inquérito Civil para apurar o escândalo das verbas indenizatórias da Câmara Municipal de Aracaju foi instaurado em 23 de fevereiro deste ano, através de uma requisição assinada pelo promotor de Justiça Jarbas Adelino Santos Júnior. Os 15 vereadores investigados são: Adriano Taxista (PSDB), Agamenon Sobral (PHS), Agnaldo Feitosa (PR), Adelson Barreto Filho (PR), Augusto do Japãozinho (PRTB), Anderson de Tuca (PRTB), Jailton Santana (PSDB), Valdir Santos (PTdoB),  Ivaldo José (PRTB),  Max Prejuízo (PSB), Daniela Fortes (PEN), Dr. Gonzaga (PMDB), Emmanuel Nascimento (PT), Roberto Morais (SD) e Renilson Felix (DEM).

Chapa forte 1
A aliança PSB, PSD e PROS, que terá como cabeça de chapa o deputado federal Valadares Filho (PSB), terá uma das coligações proporcionais mais competitivas nas eleições municipais deste ano na capital.

Chapa forte 2
Pelo PSB são candidatos a uma cadeira na Câmara os vereadores Max Prejuízo, Lucas Aribé e Bertulino Menezes, além do ex-vereador Elber Batalha. Pelo PSD, são candidatos o vereador Nitinho e o ex-vereador Evando Franca, e pelo PROS o ex-vereador Moritos Matos. Prejuízo é um dos candidatos preocupados com tantos nomes competitivos na sua coligação.

Chapa forte 3
Tem candidato a vereador pelo PRB que está temeroso de uma coligação do seu partido com o pré-candidato Valadares Filho somente pela coligação proporcional. Prefere uma coligação com o PMDB. A legenda tem como pré-candidatos a vereador o pastor Alves, o professor Anderson Gois, o presidente da Federação Sergipana de Futebol, Miltinho, e o radialista J. Pereira.  

Vice
O deputado estadual Robson Viana (PEN) toma café da manhã hoje com o prefeito João Alves Filho (DEM), tendo no cardápio sucessão municipal. Robson é aliado do prefeito e do governador Jackson Barreto (PMDB), com quem se reaproximou nos últimos 30 dias.

Pela tangente
Hoje o deputado é o vice dos sonhos de João Alves e começa a ser almejado por Jackson Barreto para ser o vice do pré-candidato a prefeito Zezinho Sobral (PMDB). Ele não responde aos questionamentos se vai preferir ser o vice de JAF ou ZS.

Especulação
Em uma roda política ontem foi conversado que não está descartada a possibilidade do prefeito João Alves renunciar ao mandato até 02 de junho para que a senadora licenciada Maria do Carmo Alves (DEM) venha a ser candidata a prefeita ou vice. Para isso, Maria também se desincompatibilizaria do cargo. A coluna não acredita nessa possibilidade.  

Fazendo a cama
Informações chegadas à coluna dão conta que na reunião dos senadores Antônio Carlos Valadares (PSB), Eduardo Amorim (PSC) e Ricardo Franco (PSDB) com o presidente interino Michel Temer, anteontem, Valadares e Amorim não perderam a oportunidade de criticar o governador Jackson Barreto (PMDB) no processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. Falaram, inclusive, que foram chamados de "os três patetas" por JB por terem votado pelo impedimento, conforme publicou a coluna.

Calado
Ricardo Franco foi o único dos três senadores que não criticou o governador, permanecendo calado. Ele, inclusive, não votou na Câmara pela admissibilidade do impeachment pelo fato da titular da cadeira, a senadora Maria do Carmo (DEM), ter reassumido o mandato só para votar pelo impedimento da presidente.
 
Big Brother
A Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) está com câmeras instaladas em praticamente todos os departamentos. Do seu gabinete o diretor-presidente Almeida Lima acompanha toda a movimentação em uma TV de 50 polegadas. Servidores se sentem vigiados.

Na hora certa
Do secretário nacional de finanças do PT, ex-deputado federal Márcio Macedo, ao ser questionado quais os erros do governo Dilma Rousseff, que culminaram com a aprovação da admissibilidade do seu impeachment: "Tem vários erros, mas não é o momento de tratar disso. O momento é de resistência ao golpe. Vamos, na hora certa, nos dirigir ao Brasil, fazer o que tem de fazer, apontar os erros que fizemos e os acertos. Agora a hora é de resistência e enfrentamento. Isso nós vamos fazer".    

Haja candidato
Dois municípios têm pelo menos 10 pré-candidatos a prefeito: Canindé do São Francisco e São Cristóvão. Em Canindé os nomes relevantes são do ex-prefeito Orlandinho Andrade e da ex-secretária de Educação Eliane Monteiro. Já em São Cristóvão os nomes mais expressivos são dos ex-prefeitos Armando Batalha e Lauro Rocha, do diretor do hospital Marcos Santana e do secretário Adilson Júnior. Imagine se o país não estivesse em crise.
Pelo Ibope
Uma pesquisa do Ibope, feita entre os dias 12 e 16 de maio em todo o Brasil, mostra que apenas 23% dos entrevistados consideraram que os parlamentares atuaram "em benefício dos interesses do país" quando votaram pelo impeachment de Dilma Rousseff, enquanto 66% disseram que foi "em benefício próprio e de interesses dos partidos e instituições privadas".

Na polícia do RJ
Será ouvido no Rio de Janeiro pelo crime de xenofonia o carioca Walmir Marques Júnior, que ficou conhecido no estado pelo vídeo publicado no facebook, em que agrediu o juiz da comarca de Lagarto, Marcel Montalvão, por ter determinado o bloqueio do whatsApp por 48 horas e agredido Lagarto e Sergipe dizendo que não eram Sergipe. A delegada Rosana Freitas já está concluindo o inquérito, em que foi ouvido o juiz e mais três pessoas que compareceram a delegacia para prestar um BO.

Aperipê
Com o rompimento do PSB com o governo Jackson Barreto, começam a ocorrer as primeiras mudanças nos órgãos que eram controlados pelo partido. Na Fundação Aperipê deixaram os cargos os diretores Paulo Henrique Sobral Santos, Daniel Dias Sampaio Segundo e Telma Rios Pimentel. Foram substituídos por Jeferson Bosco Batista de Andrade, Leonardo Levi Moura Gama e José Maria Maciel Santos. Por enquanto a Fundação segue sendo comandada por Messias Carvalho.

Veja essa...
Mesmo suspenso do mandato por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) custa mais de R$ 500 mil por mês aos cofres públicos. Só com a manutenção da residência oficial, a Câmara gasta cerca de R$ 400 mil. Além disso, Cunha conserva o salário de R$ 33,7 mil e verba de gabinete no valor de R$ 92 mil para pagar funcionários de seu gabinete. Apenas a cota para o exercício da atividade parlamentar, em torno de R$ 35 mil, foi cortada.

Curtas
O senador Ricardo Franco (DEM-SE) apresentou Projeto de Lei Complementar, ao Senado, propondo alterar a Lei Complementar 101/2000, conhecida como Lei de Responsabilidade Fiscal, com o intuito de vedar a utilização de empresas controladas pelo setor público, com o objetivo de alterar preços de mercado, exceto por meio de criação de subvenção econômica de caráter geral.

Nessa sexta-feira não será ponto facultativo para os servidores públicos do Estado, por conta do feriado hoje de Corpus Christi.
Caminha para ser de 13% o reajuste dos planos de saúde individuais. Sai em junho a autorização do Ministério da Fazenda.

Ainda neste ano, o Hapvida investirá cerca de R$ 22 milhões em tecnologia, 30% a mais que em 2015.  O objetivo é agilizar ainda mais o atendimento dentro das unidades. Além disso, o investimento vai ampliar o poder de processamento de dados da empresa, permitindo novos mecanismos de controle de pacientes e demandas internas.