Brasil terá três mudanças contra o Peru

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O Brasil encara o Peru hoje, precisando apenas de um empate para garantir a classificação
O Brasil encara o Peru hoje, precisando apenas de um empate para garantir a classificação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 12/06/2016 às 12:47:00

Dunga diz não gostar de mexer muito no time, para não minar a confiança dos jogadores. Considera ideal ter uma base e, a partir dela, fazer alterações pontuais. No entanto, para a partida da seleção brasileira neste domingo, contra o Peru, deverá fazer mudanças nos três setores da equipe. Uma delas por obrigação, pois Casemiro está suspenso, e outras duas buscando melhora no rendimento: a volta de Miranda e a efetivação de Gabriel como titular.
O atacante santista está em alta com Dunga. Estreou na seleção principal fazendo gol no amistoso contra o Panamá e voltou a marcar contra o Haiti. Também entrou bem contra o Equador, na primeira partida da Copa América Centenário. Como Jonas irritou o treinador na quarta-feira pelos gols perdidos, Gabriel tem grandes chances de ganhar a posição.
Dunga vai esconder as mudança o máximo possível, até para não melindrar Jonas. Prefere dizer que o jovem atacante tem sido muito útil. "Às vezes quem sai jogando não é tão importante como aquele que entra no intervalo. Procuro mostrar isso a eles ", disse.
 O fato é que ele está bastante empolgado com o rendimento do santista. E Gabriel está seguindo à risca, o script de se mostrar um jogador de grupo e aproveitar as oportunidades. E aposta na facilidade que tem de exercer várias funções para conquistar a vaga. "Para mim não tem prioridade, posso jogar pelos lados, mais pelo meio. Entrar como centroavante (contra o Haiti) foi bom, pude me movimentar bastante e abrir espaços", analisou.
 Classificação - As duas outras alterações que Dunga pode fazer levarão em conta a situação da equipe no Grupo B. O Brasil precisa apenas do empate contra o Peru, para passar às quartas de final como primeiro da chave e, por isso, não deve correr riscos desnecessários.
No meio do campo, preferindo uma proteção maior da zaga, Dunga ficará entre Wallace e Rodrigo Caio. Caso queira uma equipe mais leve e criativa, pode repetir o que fez durante alguns minutos contra o Haiti: pôr Elias e Renato Augusto como volantes, lançando Lucas Lima na armação de jogadas, com Willian e Phillipe Coutinho abertos pelos lados.