O troco?

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/06/2016 às 00:16:00

Nas eleições de 2014, a primeira sem Marcelo Déda, houve um racha federal dentro do PT mediante o desentendimento político entre os então deputados federais Rogério Carvalho e Márcio Macedo, que pertencem a mesma corrente do campo majoritário, a Construindo um Novo Brasil (CNB).  
Entre as razões: a disputa acirrada entre os dois para presidente estadual do PT e a polêmica em torno da filiação da ex-primeira dama Eliane Aquino ao partido.
O resultado desse desentendimento político, como a coluna já abordou antes, foi a derrota de Rogério e Márcio nas urnas. Assim como a redução em 50% da bancada do PT tanto na Câmara dos Deputados quanto na Assembleia Legislativa.

Os dois petistas perderam nas urnas, mas o candidato majoritário venceu: Jackson Barreto (PMDB) foi eleito governador de Sergipe. Como Rogério Carvalho já era presidente estadual do PT coube a ele indicar os cargos que o partido teria na administração estadual.
Rogério, que para vencer as eleições se aliou as correntes de João Daniel e Ana Lúcia, dividiu entre eles os cargos das duas secretarias que coube ao PT: Agricultura e Meio Ambiente, entre outros cargos na saúde. Márcio e o seu agrupamento político ficaram de fora do governo.
As pessoas vinculadas a Márcio Macedo foram escrachadas dos cargos que tinham no governo sem dó nem piedade, principalmente na Secretaria do Meio Ambiente, onde ele foi, inclusive, secretário, assim como na Adema. E o que é pior, pelo próprio PT de Rogério.  
O governador Jackson Barreto até chegou a ser procurado para tratar sobre a situação, mas disse que não se meteria em problema interno do partido. Ressaltou que os cargos eram do PT e caberia aos petistas resolverem.

Márcio Macedo só começou a dar a volta por cima quando há cerca de um ano assumiu a secretária nacional de finanças do PT. A partir daí trabalhou e conseguiu a maioria no Partido dos Trabalhadores.
Por ter sido escanteado pelo presidente estadual do PT e ficado de fora do governo Jackson Barreto, Márcio Macedo e seu agrupamento não tem realmente nenhuma boa vontade de apoiar o nome defendido por Rogério Carvalho para prefeito de Aracaju, que é Zezinho Sobral (PMDB). E muito menos o do governador, por não fazer parte do seu governo.

Ontem, no programa de Gilmar Carvalho, o secretário nacional de finanças reafirmou o que vem colocando: que é favorável à pré-candidatura de Edvaldo Nogueira (PC do B) a prefeito de Aracaju, tendo como vice a ex-primeira-dama Eliane Aquino (PT). E que será esta a posição que sua corrente defenderá durante o encontro municipal do partido, no dia 6 de julho, para definição do candidato que o partido vai apoiar.
Alega questões ideológicas, ou seja, o fato do PCdoB sempre ter sido um partido aliado do PT e correto no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Enquanto que o PMDB foi o grande articulador do "golpe".
Trocando em miúdos, a posição de Márcio Macedo tem muito a ver com a questão ideológica. Mas, o que mais deve ter pesado na sua decisão de apoiar o nome de Edvaldo é a questão de dar o troco no seu maior algoz, que quer se fortalecer perante o governador Jackson Barreto e ter o seu apoio para o Senado em 2018.
Agora é aguardar o dia 6 de julho para se confirmar quem realmente vai ganhar a queda de braço dentro do PT...

Tendência petista
Em conversa ontem com a coluna, um membro da Executiva Municipal do PT e delegado disse que o sentimento hoje da maioria de filiados e delegados é que o partido deve ficar com o pré-candidato Edvaldo Nogueira (PCdoB). "Não é em ojeriza ao pré-candidato Zezinho Sobral nem ao governador Jackson Barreto, que, inclusive, se posicionou contra o impeachment da presidente Dilma. É que o momento atual exige uma candidatura mais à esquerda e com mais identidade com o PT", avalia.

Ponto de vista
Enfatizou o delegado petista que todos respeitam a história política do governador Jackson Barreto e a sua liderança, mas a atual circunstância requer que o PT fique com o PCdoB.

Maioria com Edvaldo
Segundo ele, a reunião do Diretório Municipal do PT marcada para o dia 6 de julho para definição de candidaturas majoritárias e proporcionais deve mesmo referendar o apoio a Edvaldo Nogueira tendo Eliane Aquino como vice. Informa que o presidente estadual Rogério Carvalho só tem 38 dos 100 delegados que vão votar, ou seja, não tem a maioria.

PT dividido
O cenário político do PT com relação às eleições municipais em Aracaju, a 14 dias da reunião que decidirá as candidaturas, continua o mesmo. As correntes de Márcio Macedo e da deputada estadual Ana Lúcia defendendo aliança com Edvaldo Nogueira. Já Rogério Carvalho, o deputado federal João Daniel e o deputado estadual Francisco Gualberto favoráveis ao nome de Zezinho Sobral.  

Conversa prévia 1
Acontece hoje, às 10h, reunião do governador Jackson Barreto com os deputados estaduais e lideranças do PMDB em Sergipe. O encontro, que até o final da tarde não estava definido se seria no Palácio de Veraneio ou na sede do PMDB, tratará da sucessão municipal em Aracaju.

Conversa prévia 2
JB vai conversar com lideranças peemedebistas sobre as pré-candidaturas de Zezinho Sobral (PMDB) ou Edvaldo Nogueira (PCdoB). Já que marcou para a próxima segunda-feira, 27, o anúncio do nome do seu candidato a prefeito de Aracaju.

Sem pauta
Em conversa ontem com a coluna, o presidente do Diretório Municipal do PMDB, deputado estadual Garibalde Mendonça, disse que o governador apenas convocou a reunião para esta quinta-feira , quando ainda estava em Fortaleza, mas não tratou da pauta.

Preferência caseira
Segundo Garibalde, ele torce para que o candidato de Jackson seja Zezinho Sobral. "Queria ser o candidato a prefeito, mas fui vencido. Apoio o nome de Zezinho porque sou partidário, mas não podemos deixar de ouvir o chefe maior", frisou.

Quem sabe?
Do presidente municipal do PMDB ao ser indagado, pela sua experiência política e por ser do partido do governador, se acreditava na possibilidade de JB vir a apoiar o nome de Edvaldo Nogueira após ter incentivado o nome de Zezinho: "Tudo é possível. Torço para Zezinho ser o candidato, fizemos o lançamento da sua pré-candidatura bem bonito e os 37 pré-candidatos a vereador estão satisfeitos".

Correndo atrás
O pré-candidato a prefeito Valadares Filho (PSB) tomou café da manhã na segunda-feira com o presidente estadual do PDT, o prefeito Fábio Henrique. "A conversa foi boa, produtiva. Fábio demonstrou a possibilidade de fazermos uma aliança em Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão", disse à coluna VF, enfatizando que marcaram novas conversas.

Circulando
pela cidade
Valadares Filho chegou ontem de Brasília e diz que vai circular por Aracaju nesse período junino. Irá ao Forró Caju 2016 e aos arraiais que estão sendo realizados nos bairros.   

Recesso
Os vereadores de Aracaju já estão no recesso parlamentar do meio do ano. Os deputados estaduais só vão entrar de recesso no dia 1º de julho. Já deputados federais e senadores não terão recesso. Estarão de folga apenas hoje e amanhã, por conta do São João no Nordeste, e na próxima terça e quarta-feira, por causa do São Pedro. Eles precisam participar dessas festas juninas em suas bases eleitorais.

Veja essa...
De um dos coordenadores da força-tarefa da Lava Jato, o procurador da República Deltan Dallagnol, na manhã de ontem, na Câmara dos Deputados: "A punição a corrupção no Brasil é uma piada de mau gosto. A corrupção mata, a corrupção é uma assassina sorrateira, invisível e de massa. Ela é uma serial killer que se disfarça de buracos em estradas, falta de medicamentos, crimes de ruas e pobreza".

...e essa...
Disse ainda o procurador, na Casa infestada de corruptos: "A impunidade é o paraíso da corrupção. Nosso sistema é leniente e não funciona. A minha vida é uma vida de sofrimento não só com a corrupção, mas com o insucesso na luta contra a corrupção. (...) Segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas, a probabilidade de punição da corrupção é de apenas 3%. E nesses casos a pessoa vai para cadeira? Não vai, isso não é uma realidade. Porque no Brasil a punição da corrupção é uma piada e é uma piada de mau gosto". O pior que é a pura verdade.

Curtas

De Márcio Macedo: "O lugar de Jackson Barreto é liderando o bloco das candidaturas de Edvaldo Nogueira e Eliane Aquino. O governador é uma liderança forte em Aracaju. Será fundamental no apoio a Edvaldo e Eliane".

O deputado estadual Valmir Monteiro (PSC), pré-candidato a prefeito de Lagarto, recebeu ontem a visita, em seu gabinete, do novo presidente estadual do PSL, Saulo Vieira; do presidente estadual do PSDC, Cincinato Júnior; e do presidente estadual do PTB, Rodrigo Valadares.

O juiz José Fernando de Souza concedeu liminar suspendendo o show de Wesley Safadão no São João de Caruaru, em Pernambuco. Pela decisão, a prefeitura municipal será intimada para tomar conhecimento e contestar decisão do magistrado, sob pena de pagar R$ 100 mil por dia de multa.
A decisão do juiz ocorreu após polêmica em torno do cachê recebido por Safadão para se apresentar hoje em Caruaru, no valor de R$ 575 mil. O artista se apresentará no Forró Caju no São Pedro, dia 29.  

O deputado federal Adelson Barreto (PR) indicou para a superintendência do DNIT em Sergipe o funcionário de carreira do órgão, Alexandre Monteiro da Cunha. Anteontem, ele apresentou Alexandre - que já responde interinamente pelo órgão após ser escolhido "por mérito" pelos servidores desde a saída de Ismael Silva - ao ministro Mauricio Quintela (Transportes).

O fato de Alexandre ter sido escolhido "por mérito" pelos servidores do DNIT e o pedido do deputado estadual Robson Viana (PEN) pelo seu nome, pesaram para Adelson ter batido o martelo pela sua indicação para a superintendência do órgão em Sergipe.