BOLSONARO, O PSC E A ALTIVEZ DO STF

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/06/2016 às 19:05:00

Enquanto o PSC, Partido Social Cristão (que nome tão inapropriadamente usado) tolera, acolhe e até homenageia um cidadão do quilate pernicioso desse deputado Jair Bolsonaro, o Supremo Tribunal Federal reage, e em consonância com a indignação do povo brasileiro, o coloca como réu. Bolsonaro é um perigoso agente de disseminação do ódio. Até aí tudo cabível nos limites que são amplíssimos da democracia. Mas, daí a ofender, a fazer a apologia da violência, da tortura, e até do estupro, vai uma grande diferença, caracterizando um crime que não é absorvido na amplitude da inviolabilidade do parlamentar.
Ninguém está acobertado pelo direito à liberdade de expressão, quando faz incitação ao crime e à violência. Bolsonaro ofendeu a Nação, agrediu as mulheres brasileiras, quando disse que não estupraria a deputada Maria do Rosário porque ela não merecia, era feia.
Diante de tudo isso o partido que se intitula cristão, nada faz, se omite. Assim, concorda plenamente com os desatinos de Bolsonaro.
Lembra-se aqui que o senador Eduardo Cunha como também o deputado André Moura, são colegas, correligionários do brutamontes incivilizado e criminoso Bolsonaro. Se Eduardo e André não se manifestarem publicamente condenando Bolsonaro, serão cúmplices nas suas atitudes, que, além de tudo, afrontam os princípios cristãos. E os dois se dizem bons cristãos. Mas ficam calados, mudos, diante de tanta ausência de piedade, de sentimento cristão?