O dono do mundo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Acrílica sobre tela, de Jorge Luiz
Acrílica sobre tela, de Jorge Luiz

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/07/2016 às 00:38:00

O pequeno comentário 'Espalhando tentáculos' publicado nesta Tribuna do último dia 03, provocou a ira do prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique (PDT). Ele chegou a divulgar nota oficial, contestando a opinião, que para ele poderia ter sido escrita por algum "ferrenho adversário". E que o jornalista havia sido "desrespeitoso" com a sua mulher, deputada Sílvia Fontes.

Radialista, de tanto confundir jornalismo com a política/partidária, Fábio Henrique acabou se transformando num político atrasado e ambicioso.
Para quem não lembra, o texto da coluna passada foi o seguinte: "Em 2014, o prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique (PDT), conseguiu a proeza de transformar a sua mulher Sílvia Fontes, desconhecida no Estado e considerada arrogante no trato com o povo pobre de Socorro, na deputada estadual mais votada do Estado. Sua atuação na Assembleia é pífia, mas garante espaços necessários para os ambiciosos planos do marido.

Agora Fábio Henrique espalhou dois irmãos para ampliar seus tentáculos no Estado e garantir uma candidatura ao Senado, em 2018: Adilson Júnior será candidato a prefeito de São Cristóvão; outro, o radialista Jason Neto, disputará vaga na Câmara Municipal de Aracaju. E ainda tenta impedir a candidatura de José Franco para eleger um protegido na prefeitura de Socorro.

Até aliados acham que Fábio Henrique está indo com muita sede ao pote."
Na quinta-feira, 07, Fábio Henrique concedeu entrevista coletiva em Aracaju para anunciar o apoio do PDT à candidatura do deputado federal Valadares Filho (PSB) a prefeito da capital e colocou o nome da sua mulher à disposição como candidata a vice-prefeita. Quer ampliar ainda mais os seus tentáculos. No mesmo local, Valadares Filho fez questão de explicar que o candidato a vice-prefeito sairá de um entendimento entre todos os partidos que participarem da aliança.

Em relação a Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique teve que ceder e anunciou apoio à candidatura do ex-prefeito José Franco (PSDB) e o seu então candidato a prefeito Kleverton Siqueira (PDT) será o candidato a vice. Em São Cristóvão o seu irmão Adilson Júnior deverá ser mesmo candidato a prefeito, porque como disse em sua nota, "nasceu da vontade do povo de São Cristóvão, que anseia por mudanças e tem como referência o município de Socorro e o avanço que ocorreu nos últimos anos".
A decisão do prefeito em relação a Valadares Filho já vinha sendo costurada com o deputado e o seu pai, senador Valadares. No caso de Socorro, Fábio seguiu entendimento proposto pelo deputado federal André Moura, que no início da semana mostrou que o nome preferido por ele não teria qualquer condição de vencer o pleito, facilitando uma possível vitória do deputado Padre Inaldo, candidato da coligação PCdoB/PMDB.

Nesses quase oito anos de administração, Fábio Henrique foi um dos prefeitos mais favorecidos pelo governo do Estado, responsável pelas principais obras do município. Os governos Marcelo Déda e Jackson Barreto também direcionaram muitas indústrias para Socorro, permitindo o aumento da arrecadação e a redução do quadro de desemprego.

Valadares amplia aliança

Aos poucos, o deputado federal Valadares Filho (PSB) vai ampliando as alianças para a sua candidatura a prefeito de Aracaju. O primeiro a manifestar apoio foi o grupo do PSD ligado ao deputado federal Fábio Mitidieri - a parte ligada ao deputado estadual Jeferson Andrade ainda vai decidir. Ontem foi o PDT.
O presidente da executiva municipal do PSB, Élber Batalha, confirmou ainda entendimentos com o PRB, PSL, PPL e com os partidos liderados no Estado pelo deputado federal André Moura e a família Amorim. O próprio Valadares Filho e o senador Valadares estão conversando diretamente com André e o senador Eduardo.
O bloco do PSC também pode apoiar a reeleição do prefeito João Alves Filho, repetindo aliança de 2012. Mas desta vez querem emplacar o advogado Pedrinho Barreto como candidato a vice-prefeito.

Empréstimo bancário em ano de eleição

 O prefeito João Alves Filho (DEM) convocou extraordinariamente a Câmara Municipal de Aracaju para votação de três projetos de lei do Poder Executivo Municipal. O presidente do Poder Legislativo, vereador Vinícius Porto (DEM), fez a convocação para a próxima segunda-feira, 11, às 9h.
O projeto mais polêmico é o que pede a revogação do artigo 49A da Lei Orgânica do Município. Ele revoga o texto que diz que é vedado a administração municipal direta e indireta obter empréstimo bancário, cuja liquidação do débito ultrapasse o exercício financeiro anual, ou seja, autoriza o prefeito a contrair empréstimo bancário em ano de eleição municipal em que vai disputar a reeleição.
Para esse projeto ser aprovado é necessário 2/3 da Câmara, isto é, 16 votos dos vereadores. Hoje o prefeito tem uma bancada de 17 na Casa, contando com os dois do PMDB - Bigode e Dr. Gonzaga. Se os dois vereadores do partido do governador Jackson Barreto (PMDB) votarem favorável ao projeto ele é aprovado e se votarem contra será derrotado.
Os outros dois projetos tratam do regime próprio da previdência (Projeto de Lei Complementar nº 05/2016) e o que propõe a substituição tributária (Projeto de Lei nº 06/2016, que altera a lei Complementar 63). Para aprovação dos dois projetos é necessário maioria simples.
Mesmo aprovado, o projeto do empréstimo pode ser questionado judicialmente.

A crise financeira
O governador Jackson Barreto não saiu muito satisfeito da reunião que teve na última terça-feira, 05, com a secretária do Tesouro Nacional (STN), Ana Paula Vescovi, para tratar da liberação de recursos para investimentos no estado, a exemplo da contratação da linha de financiamento Proredes, disponibilizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de U$ 100 milhões para Sergipe, o que equivale a R$ 330 milhões na cotação do dia.
Além desse assunto, tratou-se também das dificuldades financeiras do Governo do Estado e a possibilidade de se buscar acesso a novas linhas de crédito, disponibilizadas pelo Banco Mundial.
O governador explicou que o BID deu um prazo até o mês de julho deste ano para que a operação do Proredes fosse concretizada, sob pena desses recursos serem realocados para outros projetos em outros países. "São U$ 100 milhões para saúde. Não podemos perder esses recursos, que são fundamentais para melhorar nossos serviços para o povo pobre, que é quem mais precisa da saúde pública", explicou Jackson Barreto.
Jackson mostrou que desde 2011 o Governo do Estado vem fazendo um ajuste fiscal. "Sergipe foi o estado que menos cresceu em despesas de 2009 até 2016. Nossa despesa corrente total, utilizada inclusive para custeio, corresponde aos mesmos valores de 2009. Já fizemos todos os cortes possíveis. Precisamos desses recursos para melhorar os serviços básicos para nossa população", enfatizou.
Ana Paula Vescovi disse que o órgão acompanha os números e que tem consciência de que Sergipe vem fazendo o dever de casa. "Nós precisamos acertar as contas públicas, fazer o ajuste fiscal. Esse é o centro da crise. Temos que cumprir a meta para que o Brasil possa voltar a crescer. Para isso, precisamos resgatar a confiança. Não há mais espaço fiscal para fazer concessões aos estados. Teremos que fazer um ajuste conjunto para podermos superar essa fase".
As renegociações das dívidas com a União só favoreceram os grandes Estados, principalmente São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A renegociação reduz a dívida de Sergipe em apenas R$ 8 milhões mensais, enquanto somente com o déficit com a previdência alcança cerca de R$ 100 milhões por mês.
A situação continua crítica. Este mês a queda prevista no FPE para Sergipe atinge cerca de R$ 30 milhões.

Gosto pela política
O empresário Ricardo Franco, filho do ex-governador Albano Franco, relutou muito a entrar na política. Até se transformar em suplente da senadora Maria do Carmo Alves (DEM) nas eleições de 2014, agora no exercício do mandato. Poucos meses de convívio no Senado despertaram seu interesse e hoje já não esconde aos amigos o desejo de continuar na vida pública, mantendo a tradição da família.
Vai participar diretamente da campanha à reeleição do prefeito João Alves Filho e correligionários sugerem uma candidatura a deputado federal em 2018, principalmente se João não obtiver a reeleição, o que levaria Maria a voltar para o Senado.

Denúncia ao CNJ
O presidente do Tribunal de Contas do Estado, Clóvis Barbosa de Melo, esclarece que o órgão poderá apresentar representação ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o desembargador Alberto Romeu Gouveia Leite e não contra Ruy Pinheiro, como foi noticiado na página 6 da edição de quinta-feira, 07, deste matutino.
O problema se refere a liminar conferida pelo desembargador impedindo o TCE de analisar o contrato emergencial firmado pela Estre Ambiental e a Prefeitura Municipal de Aracaju. O TCE apresentou recurso e o desembargador Alberto Romeu não julga o caso. Na quarta-feira à noite, Clóvis se reuniu com o presidente do TJSE, desembargador Luiz Mendonça, para tratar do assunto.