Conversa para boi dormir

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 19/07/2016 às 00:59:00

Que ninguém se engane. Os grandes veículos de comunicação do país, incluindo a Rede Globo e o jornal Folha de S. Paulo, fizeram um pacto para disseminar informações positivas sobre o governo golpista de Michel Temer (PMDB) e com isso tentar ludibriar a população sem grandes riscos. Na noite de domingo (17) começou a ser divulgada uma série de resultados extremamente positivos obtidos através de pesquisa Datafolha. Dentre eles, o que mostra que metade dos brasileiros prefere Temer a Dilma Rousseff. Já outra pesquisa aponta que o brasileiro está mais otimista com a economia. E eles fazem questão de dizer que o índice Datafolha de confiança registrou 98 pontos nas pesquisas, algo inédito.

A pesquisa do Instituto Datafolha, segundo os órgãos de imprensa, foi realizada nos dias 14 e 15 de julho, sendo que 2.792 pessoas foram entrevistas em 171 municípios. Segundo ela, os brasileiros estão mais confiantes em relação à inflação. Em novembro de 2015, ainda com Dilma na presidência, 77% acreditavam que a inflação iria subir. Em fevereiro deste ano, eram 72%. Agora, com Michel Temer, caiu para 60%. A expectativa em relação ao desemprego também melhorou. Em novembro do ano passado, 76% achavam que ia aumentar o desemprego. Em fevereiro deste ano, eram 71%. Agora são 60%. Enquanto isso, as filas em busca de emprego só aumentam Brasil afora.

A pesquisa do Datafolha também mostrou que metade dos brasileiros prefere o presidente em exercício Michel Temer à presidente afastada, Dilma Rousseff. Algo difícil de crer, principalmente na região Nordeste. Mas segundo o Datafolha, para 50% dos entrevistados Michel Temer deve continuar no mandato até 2018. Já 32% preferem a volta de Dilma à presidência. Apenas 4% não querem nenhum dos dois. Outros 3% acham que deve haver novas eleições. Dois por cento deram outras respostas. E 9% não sabem.
O Instituto também perguntou como os brasileiros avaliam o governo do presidente em exercício Michel Temer. Quarenta e dois por cento dos entrevistados consideram o desempenho regular. Trinta e um por cento acham ruim ou péssimo. Catorze por cento consideram ótimo ou bom. E 13% não sabem. Ou seja, há algo de muito suspeito nessa pesquisa, pois na prática, no dia a dia do brasileiro, nada mudou para melhor.
O que existe, e todos estão acompanhando, é a tentativa de consolidar o golpe nascido no Parlamento e no Palácio do Jaburu. Os erros cometidos por Dilma na condução da política econômica do Brasil levaram o Brasil a uma situação difícil, mas certamente não será com a prática entreguista e ultraliberal da gestão Temer que o país irá se salvar. Portanto, a estratégia agora da grande mídia é desenhar para a população um presidente confiável que poderá, até 2018, mudar os rumos da nação de uma forma positiva. Ou seja, conversa para boi dormir.

Próximos passos
É bom lembrar que a comissão do Impeachment no Senado só voltará a se reunir no dia 2 de agosto, para apresentação do relatório de Antonio Anastasia (PSDB-MG). Na ocasião, o parecer será lido na comissão, para discussão no dia seguinte e votação no dia 4 de agosto. Até o dia 27 de julho, caberá à defesa apresentar os argumentos finais. A partir daí até 1º de agosto, o relator poderá elaborar seu parecer sobre o caso. Se no dia 9 de agosto o plenário do Senado aprovar, por maioria simples, parecer pela procedência da denúncia, a presidenta afastada irá a julgamento final em mais uma votação no plenário. A expectativa é que o julgamento final de Dilma Rousseff, que pode levar ao arquivamento do processo ou à perda definitiva de seu mandato, ocorra entre os dias 25 e 26 de agosto.
 
Mais Datafolha
Ainda sobre a pesquisa Datafolha realizada nos dias 14 e 15 de julho, dessa vez sobre intenção de votos para presidente, ela indica que Lula tem 22%, Marina 17% e Aécio 14%. Isso para o primeiro turno da disputa presidencial nas eleições de 2018. Mas aí vem a pancada do instituto das elites. De acordo com o Datafolha, o ex-presidente Lula não conseguiria vencer num possível segundo turno a ex-senadora Marina Silva (Rede) ou o ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB). Dá para acreditar nisso? No mais, a pesquisa Datafolha mostra que Jair Bolsonaro (PSC) teria 7%, Ciro Gomes (PDT) 5%, Michel Temer (PMDB) 5%, Luciana Genro (PSOL) 2% e Ronaldo Caiado (DEM) e Eduardo Jorge (PV) teriam 1% cada um.

Segurança em risco
Em entrevista ao jornalista Joedson Teles, do blog Universo Político, o presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Sergipe (Adepol), Paulo Márcio, fez um desenho tenebroso da segurança pública no estado, principalmente no que diz respeito à sua classe. A pergunta de Joedson foi direta: 'Qual a maior queixa hoje dos delegados de polícia?'. Eis a resposta: "Salários atrasados e parcelados, falta de equipe e estrutura, condições precárias de trabalho, sobretudo no interior, excesso de plantões em finais de semana e feriados, dentre outros. Mas um dos principais problemas na atualidade é o acúmulo de duas, três ou mais delegacias por um só delegado de polícia. Esta semana, entregaremos uma proposta ao delegado-geral para equacionar esse problema, pois a situação já chegou ao limite e os delegados já falam em adotar medidas que os impeçam de continuar acumulando várias unidades de forma ilícita". Algo temeroso para a população.
 
Eleição sindical
Começa hoje, 19, e vai até o dia 21, quinta-feira, o processo eleitoral do Sindicato dos Jornalistas de Sergipe e da Federação Nacional dos Jornalistas. Aqui os jornalistas Paulo Sousa e Edmilson Santos Brito são candidatos à reeleição de presidente e vice em chapa única. Além deles, vários outros colegas da imprensa integram a chapa, a exemplo de Iracema Corso, Caroline Rejane Sousa Santos, Joedson Telles, Katia Paim, Gustavo Costa, Priscila Andrade, Thiago Paulino, Noel Lino dos Santos, Maria Odilia, Lupércio Santos e Miro Ribeiro.
 
Responsabilidade com o PT
Está consolidado o apoio integral do Partido dos Trabalhadores à pré-candidatura de Edvaldo Nogueira (PCdoB) à Prefeitura de Aracaju na eleição de outubro desse ano. A candidata a vice, Eliane Aquino (PT), disse que a decisão de aceitar o desafio é resultado de um pedido feito pela população. "Essa caminhada até aqui eu preciso oferecer ao povo desta cidade. Foi essa população que me instigou e me provocou e me mostrou que eu não poderia deixar de carregar a luta de Marcelo Déda, de Zé Eduardo Dutra e de todos que já se foram. Eu carrego muito esse projeto e tenho uma responsabilidade imensa com este partido", afirmou a viúva do governador Déda.
 
Salários
Ficou para a penúltima semana de julho o pagamento do complemento salarial do mês de junho de funcionários ativos, aposentados e pensionistas do estado de Sergipe. Após dias de angústias e incertezas, já que havia a possibilidade de não ter dinheiro para honrar o compromisso ainda neste mês, ontem o Governo do Estado informou que o pagamento será da seguinte forma: Ativos, dia 21 de julho; Aposentados e Pensionistas, dia 22 de julho. Menos mal.
Campanha
crescendo
Ontem à noite o pré-candidato a prefeito de Aracaju, Valadares Filho (PSB), recebeu mais um apoio oficial para a eleição de outubro. Dessa vez foi o PSL/LIVRES 17, através de Saulo Vieira, presidente do diretório estadual do partido, que declarou seu apoio ao socialista. A solenidade na sede do PSB, e segundo Elber Batalha, com mais uma declaração de apoio, Valadares Filho lidera um arco de alianças que congrega PSB/PSD/ PROS/ PDT/PSDC/PSL.
 
Queixa dos
bancários
O Sindicato dos Bancários de Sergipe (SEEB/SE) iniciou ontem uma série de visitação às agências para defender a democracia e os direitos ameaçados pelo governo provisório de Michel Temer. Os sindicalistas estavam acompanhados de grupo de três atrizes que encenou a esquete "Marias vão à luta". No texto, as atrizes de forma lúdica criticam os discursos de deputados durante a votação do Impeachment da presidente afastada, Dilma Roussef. Hoje, às 08h, o sindicato voltará às agências do centro de Aracaju.

Aprendi que não devemos acreditar no que as pessoas dizem, mas apenas no que as pessoas fazem. Isso é prudente.
Ed René Kivitz, pastor da Igreja Batista

Contrato de professores
Proposta em análise na Câmara dos Deputados aumenta de 1 para 2 anos o período mínimo do contrato temporário de professores brasileiros substitutos e visitantes. A medida está prevista no Projeto de Lei 4775/16, do deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR). Com a alteração, os contratos poderão durar até três anos, caso sejam prorrogados. Segundo o parlamentar, a proposta pretende corrigir uma injustiça cometida em 1993, quando o legislador conferiu tratamento diferenciado na contratação de professores pesquisadores estrangeiros e brasileiros.
 
Contrato de professores I
"A legislação atual permite que o professor pesquisador brasileiro seja contratado por um ano, prorrogável por mais um, e, no caso do professor estrangeiro, permite que seja contratado por quatro anos improrrogáveis", explicou. O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Educação; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.