Inteirando-se das coisas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Na reunião ontem do governador Jackson Barreto (PMDB) com o vice Belivaldo Chagas (PSB) e secretários, Jefferson Passos (Fazenda) informou que o Fundo de Participação dos Estados (FPE) caiu em julho 30% com relação a junho deste ano, o equivalente a R$ 70
Na reunião ontem do governador Jackson Barreto (PMDB) com o vice Belivaldo Chagas (PSB) e secretários, Jefferson Passos (Fazenda) informou que o Fundo de Participação dos Estados (FPE) caiu em julho 30% com relação a junho deste ano, o equivalente a R$ 70

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/07/2016 às 02:10:00

Na reunião ontem do governador Jackson Barreto (PMDB) com o vice Belivaldo Chagas (PSB) e secretários, Jefferson Passos (Fazenda) informou que o Fundo de Participação dos Estados (FPE) caiu em julho 30% com relação a junho deste ano, o equivalente a R$ 70 milhões e que em 2016 a queda é de R$ 190 milhões com relação a 2015. O secretário falou ainda de um recuo do ICMS na ordem de 17%.
Apesar dos problemas de ordem econômica e de segurança pública, o governador demonstrou vontade política para resolver todos eles.

Inteirando-se das coisas

O governador Jackson Barreto (PMDB) chegou ontem de manhã a Sergipe da viagem de férias a América Central. Somente à tarde foi ao Palácio dos Despachos, onde se reuniu com o vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) e alguns secretários para se inteirar da situação do estado neste mês de julho, enquanto estava viajando.
Jackson, que ficou incomunicável nos 15 dias que passou de férias visando desestressar da crise econômica e política, não obteve boas notícias no seu retorno. Encontrou o estado em uma situação bem pior.
O repasse da primeira parcela do Fundo de Participação dos Estados (FPE) referente ao mês de julho, depositado na conta do Estado dia 8, teve uma queda de quase R$ 30 milhões em comparação com a primeira parcela do mês passado, indicando um agravamento da situação financeira dos Estados.  Em comparação com o repasse do dia 10 de julho do ano passado a queda foi de R$ 10,4 milhões.
Em razão dessa queda significativa do FPE, os servidores ativos das secretarias, empresas, fundações e autarquias que recebem acima de R$ 4.500,00 tiveram seus salários parcelados. Receberam esse valor no dia 12 de junho e o restante ainda vão receber
Isso gerou insatisfação de várias categorias, a exemplo de delegados e procuradores de justiça. Categorias essas que ameaçam entrar em greve se permanecer o parcelamento dos salários.
Além do parcelamento, teve o atraso no repasse do duodécimo do dia 20 para dia 29 de julho dos Poderes Legislativo e Judiciário. Por lei, o Estado tem que repassar para esses poderes e o Tribunal de Contas do Estado o dinheiro do duodécimo no dia 20 de cada mês. Isso também desagradou a servidores e dirigentes do legislativo, judiciário e TCE.
Como se não bastasse esses problemas de ordem econômica, teve ainda o assassinato de um cobrador de ônibus enquanto trabalhava e de um delegado de polícia. A morte do cobrador provocou uma grande comoção junto à população. Já a do delegado fez com que a sociedade começasse a pensar que se um agente da lei é assassinado em plena via pública, enquanto passeava com seu cachorro, imagine o cidadão comum, pobre mortal.
O governador também foi informado por correligionários que o seu amigo e aliado Luciano Bispo (PMDB) perdeu o mandato de deputado estadual e, consequentemente, a presidência da Assembleia Legislativa.
Como se não bastasse, ele ainda vai ter de ver como vai administrar a vinda da presidente afastada Dilma Rousseff a Sergipe, na próxima segunda-feira. Se comparecer ao ato político "contra o golpe", JB pode ter maiores problemas com o governo Michel Temer com relação à liberação de recursos para Sergipe. É que Dilma deve acusar o seu partido, o PMDB, e o próprio presidente interino de "golpistas". Um momento constrangedor, mesmo para ele que permaneceu ao lado da então presidente no processo de impeachment.
Trocando em miúdos, JB não terá dias bons pela frente. Os obstáculos a vencer são muitos. Tem que ter voltado bem relaxado para aguentar o tranco...     

Maior preocupação
Na reunião de ontem com o vice-governador Belivaldo Chagas (PSB), o governador Jackson Barreto (PMDB) ouviu relatos de alguns secretários sobre o que ocorreu na sua ausência. Mostrou preocupação com a segurança pública e acertou que novas medidas devem ser tomadas no combate a violência, com a atuação não só do Poder Executivo, mas do Poder Legislativo, no sentido da aprovação de projetos de lei, e do Poder Judiciário, no sentido de ajudar a rever o regime semi-aberto.

Os presentes
Participaram da reunião com o governador e o vice, os secretários: João Batista (Segurança Pública), Benedito Figueiredo (Governo), João Gama (Planejamento, Orçamento e Gestão), Jefferson Passos (Fazenda), Sales Neto (Comunicação), Antônio Hora (Justiça), Saulo Eloy (Esporte e Turismo), Marta Leão (Inclusão, Assistência Social) e Walmor Barbosa (Infraestrutura). Além do presidente da Assembleia Legislativa, Garibaldi Mendonça (PMDB) e do assessor especial Jorge Araujo.

Novas conversas
Segundo o presidente da Câmara Municipal, Vinícius Porto (DEM), até hoje acontecerão várias conversas do prefeito João Alves Filho (DEM) com o senador Eduardo Amorim (PSC) e o deputado federal André Moura (PSC) sobre a sucessão municipal. Ele está confiante que o apoio do bloco do senador à reeleição de JAF deve acontecer ainda neste final de semana.

Na torcida 1
Ressalta Vinícius que torce pela continuidade da união dos dois grupos. Lembra que essa unidade já ocorre há duas eleições: a de prefeito em 2012 e de governador em 2014.

Na torcida 2
O vereador do DEM é um dos correligionários e aliados do prefeito João Alves que defende a permanência do nome de José Carlos Machado (PSDB) como o vice. "O meu vice é Machado, mas quem vai decidir é João Alves. Se João me ouvir o vice é Machado, por ser mais alinhado ao prefeito", afirmou à coluna Vinícius, enfatizando que também torce por isso.

Pensamento do vice
Ontem, no programa de Gilmar Carvalho, José Carlos Machado afirmou que não garante participação na campanha de João Alves se não permanecer como seu vice. Disse que o que quer é que a decisão seja tomada mediante entendimento com outros partidos aliados.

Sem bater martelo
O pré-candidato a prefeito Valadares Filho (PSB) garantiu ontem à coluna que não fechou nenhum acordo político com Eduardo Amorim e o seu agrupamento político. Não nega que conversas estão acontecendo naturalmente com o senador e o deputado André Moura.

Satisfação
Valadares Filho diz que está muito tranquilo nesse período de convenção partidária por já ter consolidado uma aliança com seis partidos: PSD, PDT, PSDC, PROS, PSL e PSB. Ressalta que aguarda o apoio do PRB e que está animado com os apoios e a receptividade do povo.

O foco
Segundo o pré-candidato do PSB, nesse momento ele está muito focado na organização da campanha eleitoral e na sua preparação para o programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão.
Pelo que se sabe...
Os grupos de Eduardo Amorim e do prefeito Heleno Silva (PRB/Canindé do São Francisco) conversam no sentido de indicar o vice de Valadares Filho. Os nomes do bloco de Amorim são pastor Virgínio e o advogado Pedrinho Barreto. Já o do bloco de Heleno são os pastores Mardoqueu Bodano e Cláudia.

No Deotap
O vereador Josenito Vitale , o Nitinho (PSD), prestará depoimento hoje à tarde no Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) por contratação de empresas por inelegibilidade quando presidente da Funcaju. Ele presidiu a Funcaju em 2013. Também prestará depoimento o ex-presidente interino Manoel Viana.
Operação
Indenizar-se 1
Até o final da primeira quinzena de agosto a delegada Daniele Garcia, responsável pelas investigações da Polícia Civil no suposto desvio de verbas indenizatórias por 15 vereadores de Aracaju, estará concluindo o inquérito policial. À coluna, a delegada disse ontem que a demora na conclusão do inquérito é em razão de extratos bancários emitidos por dois bancos terem sido enviados somente na semana passada, já sendo analisados.

Operação
Indenizar-se 2
Segundo a delegada, a conclusão do inquérito deve ser divulgada durante entrevista coletiva à imprensa, em conjunto com o Ministério Público do Estado. A operação foi deflagrada em 31 de março, quando foram cumpridos mandados de busca e apreensão na Câmara de Vereadores de Aracaju e em mais cinco pontos da capital e área metropolitana. Estão sendo investigados por crimes de sonegação fiscal, peculato e lavagem de dinheiro 15 vereadores e três empresários.

O que falar
Nas rodas políticas o que mais se comenta é a nomeação do ex-secretário municipal de Comunicação, Carlos Batalha, para a presidência da Emurb nesses últimos seis meses de gestão do prefeito João Alves, em que vai para a reeleição.

Veja essa...

Do ex-deputado estadual Jorge Araújo (PSD): "Os agentes da SMTT ficam nas esquinas das ruas conversando e de olho no celular sem orientar o trânsito. Apoiarei o candidato a prefeito de Aracaju que garantir que os agentes da SMTT troquem os celulares pelos apitos".

Curtas
O presidente da Câmara, Vinícius Porto, esclarece que o almoço que teve ontem em uma churrascaria na Atalaia com servidores do Legislativo Municipal foi organizado pelo sindicato da categoria. "Foi a ressaca do São João", disse, enfatizando que todos os anos isso ocorre sempre no período dos festejos juninos e natalino.   

O vereador Emmanuel Nascimento (PT) cobrou ontem que com o final do recesso parlamentar venha a tramitar na Câmara dois projetos de lei de sua autoria que visam evitar crimes como o que vitimou o cobrador de ônibus David Barbosa.

Segundo ele, os projetos encontram-se na Comissão de Constituição e Justiça há um ano. Um trata da obrigatoriedade de instalação de câmeras de segurança em todos os ônibus coletivos que circulam em Aracaju e o outro proíbe o uso da parte traseira para propaganda de produtos ou quaisquer outros serviços.

Já o vereador Max Prejuízo (PSB) aguarda sanção, pelo prefeito João Alves, de projeto de lei de sua autoria que regulamenta a inserção dos serviços de Psicologia Escolar e Assistência Social nas escolas da rede pública municipal de ensino.

Para Max, não se combate a violência apenas com polícia nas ruas. "Trabalhar com o ser humano a questão da prevenção é o principal combate, que deve ser iniciado desde cedo na escola com professores, psicólogos e assistentes sociais. É trabalhar a socialização das novas gerações diante da realidade em que estamos vivendo".