Venâncio comenta pesquisa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/08/2012 às 14:52:00

O líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Venâncio Fonseca (PP), usou o pequeno expediente na tarde de ontem  para destacar os números da pesquisa publicada no ultimo domingo pelo Jornal do Dia, onde o candidato pelo DEM a prefeito de Aracaju, João Alves Filho, aparece com 55% das intenções de votos.
Venâncio lembrou que há cerca de dez dias foi divulgada uma pesquisa realizada por um instituto de Sergipe,  quando houve muita contestação.

João Alves Filho aparecia com 51% das intenções de voto. "Nesta mais recente houve um crescimento de 4 pontos, indo para 55%. Essa é uma prova de que os números estão sempre batendo", disse.
Rejeição - Para o deputado, o que chama a atenção nessa nova pesquisa é o índice de rejeição do governador Marcelo Déda - 53%. Segundo Venâncio, a saúde é o maior problema enfrentado na capital e responsável por esse índice de rejeição.

Na avaliação do parlamentar,  esses resultados mostram que esta é uma eleição diferente da de quatro anos atrás, quando o governador estava com um bom índice de aprovação,  o que muito colaborou para a eleição do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB).

 "O governador estava com um índice de aprovação de seu governo bom e levou Edvaldo no braço, participou na linha de frente da campanha e seu candidato conseguiu vencer a eleição", argumentou.
Sobre a rejeição de hoje, Venâncio observa que "o índice é tão ruim que ninguém quer aparecer ao lado do governador, nem mesmo candidatos filiados ao Partido dos Trabalhares. Querem foto ao lado de Dilma, de Lula, mais rejeitam foto ao lado de Marcelo Déda".

"A fortaleza que o governador tinha em Aracaju há quatro anos atrás desmoronou", acrescentou. "A não ser que ele (Déda) consiga melhorar no seu governo setores como saúde, segurança pública, educação, para que isso possa refletir positivamente  no seu candidato", disse Venâncio.

"Aracaju já percebeu que quer um prefeito de verdade que diga ao governador que ele foi eleito para governar", afirmou Venâncio. "Agora, mandar na Prefeitura e querer transformar o prefeito de Aracaju em um secretário do governo, isso Aracaju não aceitar mais e é por isso que o povo quer João Alves", concluiu.