NA CAPITAL DA MURIÇOCA O MOSQUITO METE MÊDO

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/07/2016 às 15:44:00

Aracaju, pode ser vista sem injustiça, todavia com demérito, a ostentar o título de capital brasileira da muriçoca. Há quem diga que nos igualamos a Teresina e ao Recife, mas isso será apenas um consolo de acomodação inútil. Faz muito tempo o mosquito incômodo e nocivo, infernizador das nossas noites, por aqui se foi aclimatando, e se deu muito bem. Tanto é assim que o visitante ao desembarcar durante a noite no aeroporto de Aracaju, em períodos de chuva, logo é recepcionado pelas muriçocas aracajuanas, ávidas ,nunca se fartando em sanguessugar.
Nunca se fez por aqui uma pesquisa para determinar quais os males causados pela muriçoca, além daqueles tão evidentes e imediatos.
Mas agora é preciso pensar e agir em relação à muriçoca. Acontece que o mosquito com o qual convivemos, tornou-se uma terrível, uma assustadora ameaça, depois que pesquisadores pernambucanos descobriram que a até agora apenas incômoda muriçoca é vetor perigoso da calamitosa Zica. A muriçoca carregaria com ela o vírus, ou seja lá o que for da doença, que até agora se atribuía exclusivamente ao malsinado aedes egypti, o mosquito importado que aqui chegou, gostou do nosso clima e multiplicou-se diante da nossa indiferença a visitantes perniciosos. Mas aqui o assunto é a muriçoca, que pode disseminar a assustadora microcefalia.
Quando foi secretário da Saúde de Aracaju, isso há 40 anos, o sanitarista Carlos Magalhães, o nosso Magá, famoso do futebol no rádio, tornou-se o exterminador da muriçoca. O mosquito sumiu, desapareceu tanto dos bairros como do centro. Depois retornou, e persiste até hoje.
Carlos Magalhães, todavia, faz uma observação: os métodos que ele utilizou naquele tempo em que não existia tanta consciência ambiental, hoje, não poderiam ser repetidos.
Assim fica o desafio da muriçoca para as autoridades, para a capacidade de elaborar pesquisas, pela UFS tão posta a trabalhar nessa área pelo reitor Ângelo, pela a UNIT. Instituição que o reitor Uchoa, sempre coloca na boa trilha dos interesses da comunidade.