O QUASE MÉDICO E A “VISITA DA SAÚDE”

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/07/2016 às 15:44:00

O ex-prefeito Edvaldo Nogueira foi aluno destacado da Faculdade de Medicina de Sergipe. Seus professores o elogiam como estudante dedicado, dizem, inclusive, que ele seria um grande cirurgião com especialidade cardiológica. Mas ele, num momento difícil da vida brasileira, trocou o bisturi que começava a manejar com destreza, pelos palanques da vida pública. E naquela época os palanques eram inacessíveis para um militante jovem do proscrito PC do B, um partido identificado com a aventura desastrada e fatal das guerrilhas nas selvas.
O PC do B perdeu, ao passar dos anos, aquele fanatismo albanês, assimilou as práticas democráticas e civilizadas do euro-comunismo, algo que até contribuiu para o desmonte da monolítica União Soviética. Edvaldo, por outro lado, numa chegou a absorver o chamado ¨materialismo dialético¨ de Karl Marx e Lênin, os dois grandes revolucionários, que erraram, e contra ele tiveram o sentimento arraigado de religiosidade, inclusive do povo russo, ao afirmar que a ¨religião era o ópio do povo¨. Edvaldo, coroinha na infância, continuou católico fervoroso e praticante.
Como um quase médico, Edvaldo bem sabe o que significa em termos científicos aquela expressão popular: ¨Visita da Saúde¨. É o que acontece com um doente terminal, que de repente interrompe a agonia e se recupera com surpreendente rapidez. Move-se, fala, anima-se, quando antes estava prostrado. Mas, no dia seguinte morre. A Visita da Saúde é algo apenas passageiro, ilusório.
Se nesta segunda-feira Edvaldo Nogueira, o candidato a Prefeito de Aracaju, comparecer ao palanque da decaída presidente Dilma, poderá até entusiasmar-se vendo uma praça coloridamente avermelhada pelos militantes petistas a clamar contra o golpe, e a pedir: ¨Volta Dilma Volta¨. Ele poderá até ficar contagiado entusiasmo e a disposição combativa da militância, mas, sendo um quase médico, se lembrará da expressão ¨Visita da Saúde.¨ Animado num dia, no outro, diante da decepção da sociedade com os desacertos da ¨Mulher Bomba¨, incessantemente convidada para vir a Aracaju, e desastrosamente presente em hora tão inoportuna, Edvaldo poderá assistir o definhar irreversível da sua candidatura.
Jackson Barreto, precavidamente, sendo peemedebista e para não ficar ao lado dos que gritarão: Fora Temer, estará, na histórica cidade de Goiás Velho, recebendo do governador Marcondes Pirilo, seu colega de partido, a maior homenagem que o Estado de Goiás presta a personalidades brasileiras e estrangeiras.