A sinuca de bico de Valadares Filho

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Em seu discurso na Praça General Valadão, a presidente afastada Dilma Rousseff reafirmou que é vítima de um golpe que vai de encontro aos interesses do povo brasileiro. \"Não é um golpe com armas e tanques nas mãos e nas ruas, mas um golpe que vem usa
Em seu discurso na Praça General Valadão, a presidente afastada Dilma Rousseff reafirmou que é vítima de um golpe que vai de encontro aos interesses do povo brasileiro. \"Não é um golpe com armas e tanques nas mãos e nas ruas, mas um golpe que vem usa

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/07/2016 às 01:14:00

Em seu discurso na Praça General Valadão, a presidente afastada Dilma Rousseff reafirmou que é vítima de um golpe que vai de encontro aos interesses do povo brasileiro. "Não é um golpe com armas e tanques nas mãos e nas ruas, mas um golpe que vem usando a mentira e a fraude", frisou.
A presidente voltou a destacar que não cometeu nenhum crime, o que já foi confirmado por parecer técnico do Senado entregue à comissão do impeachment e até pelo Ministério Público Federal. "Mas isso para eles pouco importa. O que importa é me afastar da presidência. Para executar um plano e um programa de perdas de direitos do nosso povo. Que quer impor em menos de dois meses um profundo retrocesso", disse.
Ressaltou em seu discurso, de quase meia-hora, que não tem contas na Suíça e não cometeu nenhum ato de corrupção. Alertou o público para estratégia do "governo golpista" de tentar acabar com ações vitoriosas na saúde e na educação, a exemplo do "Mais Médicos" e a 'universidade pública e gratuita". Não faltou o grito do povo "Fora Temer".

A sinuca de bico de Valadares Filho

O pré-candidato a prefeito de Aracaju, deputado federal Valadares Filho (PSB), saiu na frente na conquista de aliados para as eleições municipais deste ano. Já em janeiro conquistou o apoio do PSD do deputado federal Fábio Mitidieri.
No decorrer do ano, Valadares Filho conseguiu a adesão do PROS do ex-deputado federal Bosco Costa. Recentemente obteve o apoio do PDT do prefeito Fábio Henrique, do PSL de Saulo Vieira e do PSDC.
Com uma aliança de seis partidos (PSB, PSD, PDT, PROS, PSL e PSDC) e prestes a conseguir o apoio do PRB do prefeito Heleno Silva (Canindé) e do deputado federal Jony Marcos, o pré-candidato do PSB caminha para uma aliança com o bloco político liderado pelo senador Eduardo Amorim (PSC) e o deputado federal André Moura (PSC), que acopla 10 partidos.
Mas essa aliança com os Amorim deve ter complicações para sua pré-candidatura: a saída da coligação do PSD e a não adesão do PRB. Fábio Mitidieri está disposto a manter a sua posição de deixar de apoiar Valadares Filho se ele aceitar apoio de partidos fora do arco da aliança da base do governo Jackson Barreto (PMDB).
O deputado Fábio tem mostrado que é um político de palavra. Recentemente, por exemplo, disse que votaria contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff e assim o fez, mesmo diante das pressões (partido e povo) e do impedimento da petista já ter sido fato consumado quando do seu voto na Câmara.  
Agora, quando se aproxima o fim do prazo para as convenções partidárias Valadares Filho terá que escolher entre permanecer com o apoio do primeiro apoiador da sua pré-candidatura, o PSD de Fábio Mitidieri, ou ir para a eleição com um novo grupo político que faz oposição ao governo.
A opção de permanecer com o PSD representa a permanência na mesma base aliada do governador e ainda poder contar com o PRB indicando o vice, chegando a sete partidos na coligação.
Já Valadares Filho fazendo a opção pelo apoio do bloco de Eduardo e André, significa uma ruptura definitiva com o governo Jackson Barreto e a perda de um aliado de primeira hora.
Essa opção também representa o surgimento de um novo bloco político em Sergipe para 2018, com Eduardo Amorim, André Moura, Valadares Filho e Fábio Henrique.
Existe uma expectativa de que nessa quarta-feira o PSC e aliados oficializem apoio ao candidato do PSB, indicando como vice o deputado estadual e pastor Antônio dos Santos (PSC).
Quem conhece bem os bastidores da política sabe que até 05 de agosto, último dia para realização das convenções, tudo pode acontecer.
Como a coluna já lembrou aqui, nas eleições de 2012 o bloco político liderado pelos irmãos Amorim tinha fechado apoio ao pré-candidato Almeida Lima na véspera do prazo final da convenção, indicando o vice, e no dia seguinte voltou atrás e decidiu apoiar João Alves Filho (DEM) sem participação na chapa majoritária nem no governo.
Agora é aguardar a decisão final de Valadares Filho e do PSC e CIA, que não param de ser assediado pelos mensageiros do prefeito João Alves, que temem o isolamento político se o bloco vier a apoiar VF.

Correndo atrás 1
Desde a sexta-feira a noite, quando se especulou que havia sido batido o martelo de uma composição do PSB com o PSC e CIA, inclusive com o bloco indicando o deputado estadual Antonio dos Santos (PSC) como vice, que o prefeito João Alves Filho (DEM) e mensageiros não param de ligar para o senador Eduardo Amorim (PSC) e o deputado federal André Moura (PSC) para um acordo. Inclusive, teve um encontro do próprio João Alves com o senador no sábado pela manhã, quando propôs a indicação do seu vice.

Correndo atrás 2
Os que mais ligam para as lideranças do PSC são o agora presidente da Emurb, Carlos Batalha; a senadora licenciada Maria do Carmo Alves (DEM) e o próprio João Alves.

Batendo martelo
O PSC e CIA decidiram mesmo apoiar Valadares Filho e deve oficializar amanhã o apoio. Ontem todo o staf do grupo - Eduardo Amorim, André Moura, os deputados Antonio dos Santos, Gilson Andrade e Valmir da Madeireira, o prefeito Valmir de Francisquinho e o ex-prefeito Zé Franco - almoçaram com o prefeito Heleno Silva (PRB) e o deputado federal Jony Marcos (PRB). O objetivo foi convencê-los a apoiar o pré-candidato do PSB com o projeto político para 2018 com o PRB incluso.

Recomeçando as conversas
À coluna, Heleno disse que colocou para o staf dos peixinhos que havia uma conversa para que o PRB indicasse o vice do PSB e como já há um entendimento para o bloco deles indicar o nome, as conversas voltaram a estaca zero. Ressaltou que o partido vai discutir hoje, às 9h, com os vereadores o novo cenário político por serem parte interessada e irem para as ruas pedir votos.

Com Valadares
No domingo, Heleno e Jony almoçaram com Valadares Filho. Discutiram o apoio do PSC e CIA, com o bloco indicando o vice. Disseram a mesma coisa que colocaram no almoço com Eduardo Amorim, André Moura e aliados: que as conversas voltaram ao ponto inicial. E VF pediu que refletissem e voltassem a conversar. Segundo Heleno, somente na próxima semana o PRB vai tomar uma posição sobre quem o partido vai apoiar em Aracaju para prefeito.

Com Edvaldo
De Heleno Silva ao ser questionado se o fato do pré-candidato Edvaldo Nogueira (PCdoB) ter sido convidado para evento gospel "Sergipe no Altar" promovido pelos evangélicos em comemoração ao seu aniversário, no sábado passado, nos mercados de Aracaju, já não era uma confirmação de apoio ao pré-candidato comunista: "Edvaldo sempre participou desse evento. Quem quiser que faça sua leitura".

Em vão 1
O senador Eduardo Amorim teve uma conversa com o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) visando fazer com que mude de ideia com relação a sua posição de deixar de apoiar Valadares Filho, no caso do seu bloco oficializar apoio ao PSB. Disse que estava parecendo que a coisa era pessoal a ele.

Em vão 2
Fábio se mantém irredutível em deixar de apoiar Valadares Filho se confirmar a aliança do PSC e CIA com o PSB. Tem dito que deseja tudo de bom a VF, mas que o seu lado é o do governador Jackson Barreto e que não participará de chapa com os opositores dele. Já o seu pai, o deputado estadual Luis Mitidieri, está mais flexível em aceitar o agrupamento do senador Eduardo Amorim na coligação de VF.

Projeto maior
Nas conversas políticas que vem tendo sobre as eleições municipais em Aracaju, o deputado André Moura, que é líder do governo Michel Temer, vem dizendo que se o projeto fosse a curto prazo o seu agrupamento aceitaria indicar o vice de João Alves, que tem pretensões de disputar o governo em 2018, mas é a médio e longo prazo. Ou seja, formando um novo grupo político.

Dilma em Aracaju 1
A presidente afastada Dilma Rousseff desembarcou ontem às 15h45 no aeroporto Santa Maria, para participar da "Jornada pela Democracia" realizada na Praça General Valadão, organizada pelo PT e movimentos sociais. Foi recepcionada pelo vice-governador Belivaldo Chagas (PSB), o secretário nacional de finanças do PT Márcio Macedo, o deputado federal João Daniel (PT), os deputados estaduais do partido Francisco Gualberto, Conceição Vieira e Ana Lúcia, a ex-primeira dama Eliane Aquino, o ex-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), entre outras lideranças. Presente também o líder nacional do MST, João Pedro Stédile.

Dilma em Aracaju 2
Quem também foi recepcionar no aeroporto a presidente afastada foi o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD). Como Fábio, o pré-candidato a prefeito Edvaldo Nogueira não acompanhou Dilma na manifestação em praça pública "Fora Temer".

Homenagem na praça 1
No início de seu discurso, na Praça General Valadão, Dilma contou sempre ter sido bem recebida pelo ex-governador de Sergipe Marcelo Déda, falecido em 2013, e pelo senador José Eduardo Dutra, além do governador Jackson Barreto. Já no fim de sua fala, disse que em Aracaju, em Sergipe, aprendeu "a respeitar vendo a força pessoal, a força incrível de Marcelo Déda, que além de ser um guerreiro, de ter a companheira que teve, a Eliane, ele era um poeta. O poeta é capaz de cantar a alma do povo. Déda cantou a alma do povo sergipano".

Homenagem
na praça 2
"Uma das coisas que considero mais fortes tanto em Déda quanto em Zé Eduardo era a capacidade de enfrentar desafios. Sei que vocês saberão honrar a imagem. A luta de dois grandes sergipanos, Déda e Dutra", finalizou a presidente.

Veja essa...
De um pré-candidato a vereador de um partido da base governista não muito satisfeito com a forma como o PSC e CIA chegaram para a coligação do pré-candidato Valadares Filho: "Eles chegaram, sentaram na sala, pegaram o controle remoto da televisão e mudaram de canal".

Curtas
Do deputado estadual Antônio dos Santos ao ser questionado pelo prefeito Heleno Silva por que trocar um mandato para ser vice: "Um sacrifício em nome de um projeto de renovação política do estado".

Heleno nega que tenha sido pressionado pelo governador Jackson Barreto para o PRB apoiar o pré-candidato Edvaldo Nogueira (PCdoB), sob pena, inclusive, de tomar os cargos que o partido tem no governo, como se especulou nas redes sociais.

"O governador não faria isso e não nos deixaríamos intimidar. É injusto o que estão falando. Claro que como aliado, a voz de Jackson tem força dentro do nosso agrupamento. Mas a decisão melhor para o partido no campo de aliança só deve ser definida na próxima semana".

O PRTB pode deixar de apoiar o prefeito João Alves Filho para acompanhar o bloco do PSC e CIA no apoio a Valadares Filho.

O presidente do PPS, Clóvis Silveira, declarou nas redes sociais: "A possibilidade dos candidatos a vereador do PRTB apoiar a reeleição do prefeito está resumida a uma possibilidade bem reduzida".