Inflação do aluguel dispara

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/08/2012 às 15:10:00

A inflação medida pelo Índice geral de Preços - Mercado - IGP-M), usada para corrigir os contratos de aluguel, acelerou nos últimos meses, impulsionada pela alta do dólar e pelo encarecimento dos preços no atacado. De acordo com dados da FGV (Fundação Getúlio Vargas), responsável pelo cálculo do índice, na primeira leitura de agosto, o IGP-M ficou em 1,21%, acumulando uma elevação de 5,84% no ano e de 7,49% nos últimos doze meses, bem acima da inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Se para os consumidores esta não é exatamente uma boa notícia, para os investidores pode ser uma oportunidade de ganhar mais com aplicações indexadas ao IGP-M. Há alguns anos, o Tesouro Nacional disponibilizava títulos atrelados ao índice por meio do programa Tesouro Direto, mas a comercialização das NTN-Cs (Notas do Tesouro Nacional - Série C) foi interrompida. "O Governo fez uma desindexação do IGP-M para o IPCA", afirma o sócio e gestor de renda fixa da Leme Investimentos, Paulo Petrassi.

Para quem comprou as NTN-C há muito tempo, ele recomenda que deixe na carteira. "Quem tinha pode segurar tranquilamente, porque tem a garantia do câmbio. Uma desvalorização muito forte do real automaticamente impacta no IGP-M, então é uma proteção contra um dólar muito forte. Eu, se fosse investidor e estivesse com este título de 5 anos que eu manteria", afirma Petrassi.

Esse impacto do câmbio no índice acontece porque a maior parte do cálculo é baseada na variação dos preços no atacado, que refletem as variações no dólar mais rapidamente. No cenário atual, o indicador deve se manter forte por um bom tempo, na opinião do gerente de renda fixa da Um Investimentos, André Mallet. "O governo tende a manter a moeda desvalorizada para ganhar competitividade no comércio exterior", acredita.

Mais risco - Com o fim da comercialização das NTN-C, ficou mais difícil para o investidor conseguir se atrelar a este indicador por meio de um ativo tão seguro quanto o título soberano. "Hoje em dia você não consegue investir em IGP-M com a segurança que tinha no passado, com os títulos públicos", aponta Petrassi. (Informoney)