Edvaldo recebe o apoio do movimento negro de Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Edvaldo Nogueira com representantes do Movimento Negro de Aracaju
Edvaldo Nogueira com representantes do Movimento Negro de Aracaju

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/09/2016 às 00:29:00

O candidato a prefeito da capital, Edvaldo Nogueira (PCdoB), e sua vice, Eliane Aquino, receberam ontem (13), o apoio do Movimento Negro de Aracaju. Na "Plenária com Negros e Negras de Aracaju", que reuniu dezenas de militantes sociais, eles ouviram reivindicações e sugestões para o programa de governo em áreas como Cultura, Inclusão Social, Educação e Direitos Humanos.

O sociólogo Florival de Souza, que foi coordenador de Igualdade Racial da prefeitura de Aracaju, na gestão de Edvaldo Nogueira, destacou a necessidade de fortalecimento das políticas públicas de igualdade e de aplicação de ações afirmativas na gestão municipal.
"A gente defende uma gestão democrática, que atenda as demandas da sociedade, considerando as especificidades das mulheres, as questões geracionais e de gênero. É preciso combater a intolerância religiosa e respeitar a cultura. Queremos estar o mais próximo possível para dar a nossa contribuição. Edvaldo e Eliane, nós estamos com vocês, não só na construção do processo eleitoral, mas para ajudar a governar Aracaju", afirmou.

O representante da Convergência Negra, Irivan de Assis, reafirmou o apoio do movimento negro à chapa Edvaldo-Eliane. "Nós negros da Cultura, da Política, da luta social, estamos com Edvaldo e Eliane. Somos multiplicadores. Aracaju é uma cidade democrática e já escolheu Edvaldo e Eliane para fazer a cidade avançar", disse.
Edvaldo e Eliane agradeceram o apoio dos militantes e se colocaram à disposição para o diálogo e para a implantação de programas que melhorem a vida dos negros e negras. Edvaldo destacou que o seu programa de governo apresentado à sociedade nesta campanha trata especificamente das questões relacionadas à igualdade racial. Ele disse ser fundamental "a luta pela igualdade" e se comprometeu com a implantação de políticas públicas afirmativas e de combate ao racismo.

"Depende não só das leis o combate ao racismo e ao preconceito. Depende da consciência de cada um. Daremos a nossa contribuição para a implantação de ações de forma transversal, em todas as áreas da administração. Reafirmo o nosso compromisso de estarmos juntos para reparar as diferenças históricas que existem no nosso país. Eu vislumbro uma sociedade igualitária e justa", disse.
Eliane Aquino ressaltou que são "muitos os desafios no que diz respeito ao preconceito e em áreas como educação e empregabilidade". "Esta é uma luta que nós iremos travar em todas as áreas. O público negro precisa ser olhado, não com assistencialismo, nem com políticas falsas, mas com um programa de governo que crie ações que não possam ser retrocedidas mesmo depois que deixarmos a gestão", afirmou.