Acusações do MP contra ex-assessora são injustas, afirma advogado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/08/2012 às 16:57:00

Daniella Jinkings
 Agência Brasil

Brasília - O advogado Luís Maximiliano Mota, defensor da ex-assessora parlamentar Anita Leocádia, disse ontem que as acusações do Ministério Público Federal (MPF) contra sua cliente são injustas. Anita é acusada de intermediar repasses de verbas do esquema do mensalão para o ex-deputado Paulo Rocha (PT-PA). De acordo com Mota, "mais de 100 pessoas" também sacaram dinheiro do mensalão e não foram citadas na ação penal.

No processo do mensalão, em julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), Anita responde pelo crime de lavagem de dinheiro. Segundo o MPF, ela recebeu, entre junho de 2003 e 2004, a quantia de R$ 820 mil do publicitário Marcos Valério. Desse total, R$ 620 mil eram provenientes de cinco saques feitos em uma agência do Banco Rural, em Brasília. A defesa, porém, contesta esses dados do MPF e diz que, em vez de cinco, foram feitas apenas quatro operações
"Tem um erro na denúncia. Fala-se em cinco condutas, mas foram quatro saques que ela fez no Banco Rural. […] Mas isso não tem problema. Falaram na tribuna que quase 100 pessoas fizeram a mesma coisa [saques a mando de outras pessoas]", argumentou o advogado.