Sem Neymar, Brasil encara a Venezuela

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/10/2016 às 09:23:00

 

A Seleção Brasileira não 
poderá contar com o 
craque Neymar, no duelo com a Venezuela, nesta terça-feira, mas tem tudo para manter 100% de aproveitamento sob o comando de Tite, diante do lanterninha das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, a Venezuela.Na hora de iniciar o segundo turno, o Brasil é vice-líder, com 18 pontos, um atrás do Uruguai e seis de vantagem sobre o Paraguai, primeiro fora da zona de classificação.
Essa posição confortável só veio com a chegada de Tite, com três vitórias convincentes sobre Equador (3x0), Colômbia (5x0) e Bolívia (5x0).Quando o ex-técnico do Corinthians assumiu o cargo no lugar de Dunga, em junho, depois do vexame da eliminação na primeira fase da Copa América do Centenário, a situação era outra. O Brasil era apenas o sexto colocado, a mesma posição ocupada hoje pelos paraguaios.
Willian e Paulinho de volta- Na ausência de Neymar, Coutinho deve jogar na esquerda, posição na qual costuma atuar no seu clube, com Willian voltando a ser titular do outro lado e Gabriel Jesus mantido como centroavante, como apontou o treino de domingo, ainda em Natal.No meio, Paulinho, que cumpriu suspensão na última partida, deve começar a jogando, apesar da ótima atuação de Giuliano contra os bolivianos.
Venezuela - Do lado venezuelano, o técnico Rafael Dudamel deixou claro que a seleção 'vinotinto' precisa ir para o tudo ou nada para tentar deixar a lanterna."Não temos outra coisa a fazer a não ser olhar para frente, se levantar e mostrar força e caráter", analisou o treinador, que não quer ceder ao desespero apenas de ter somado apenas um ponto nas primeiras nove rodadas.
Mesmo assim, o Brasil não pode entrar com salto alto, já que a Venezuela costuma se superar em grandes jogos, como mostrou nas últimas edições da Copa América, quando sempre chegou ao mata-mata.Na última partida em casa, no mês passado, segurou o empate em 2 a 2 com a Argentina.A partida está marcada para 20h30 locais (21h30 no horário de Brasília), no estádio Metropolitano de Mérida, com arbitragem do peruano Víctor Carrillo.

A Seleção Brasileira não poderá contar com o craque Neymar, no duelo com a Venezuela, nesta terça-feira, mas tem tudo para manter 100% de aproveitamento sob o comando de Tite, diante do lanterninha das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, a Venezuela.Na hora de iniciar o segundo turno, o Brasil é vice-líder, com 18 pontos, um atrás do Uruguai e seis de vantagem sobre o Paraguai, primeiro fora da zona de classificação.

Essa posição confortável só veio com a chegada de Tite, com três vitórias convincentes sobre Equador (3x0), Colômbia (5x0) e Bolívia (5x0).Quando o ex-técnico do Corinthians assumiu o cargo no lugar de Dunga, em junho, depois do vexame da eliminação na primeira fase da Copa América do Centenário, a situação era outra. O Brasil era apenas o sexto colocado, a mesma posição ocupada hoje pelos paraguaios.

Willian e Paulinho de volta- Na ausência de Neymar, Coutinho deve jogar na esquerda, posição na qual costuma atuar no seu clube, com Willian voltando a ser titular do outro lado e Gabriel Jesus mantido como centroavante, como apontou o treino de domingo, ainda em Natal.No meio, Paulinho, que cumpriu suspensão na última partida, deve começar a jogando, apesar da ótima atuação de Giuliano contra os bolivianos.

Venezuela - Do lado venezuelano, o técnico Rafael Dudamel deixou claro que a seleção 'vinotinto' precisa ir para o tudo ou nada para tentar deixar a lanterna."Não temos outra coisa a fazer a não ser olhar para frente, se levantar e mostrar força e caráter", analisou o treinador, que não quer ceder ao desespero apenas de ter somado apenas um ponto nas primeiras nove rodadas.

Mesmo assim, o Brasil não pode entrar com salto alto, já que a Venezuela costuma se superar em grandes jogos, como mostrou nas últimas edições da Copa América, quando sempre chegou ao mata-mata.Na última partida em casa, no mês passado, segurou o empate em 2 a 2 com a Argentina.A partida está marcada para 20h30 locais (21h30 no horário de Brasília), no estádio Metropolitano de Mérida, com arbitragem do peruano Víctor Carrillo.