Bandidos usam da violência em assalto no Jardins. Um morre e dois são presos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/10/2016 às 08:59:00

 

Gabriel Damásio
Um criminoso morreu 
e outros dois foram 
presos por volta das 14h30 de ontem, após tentarem assaltar um salão de beleza na Avenida Ministro Geraldo Barreto Sobral, bairro Jardins (zona sul). De acordo com a polícia, os assaltantes chegaram a pé no estabelecimento, próximo ao Shopping Jardins,e usaram de violência e ameaças para render cerca de 15 pessoas que lá estavam, entre clientes e funcionários. A Polícia Militar foi logo avisada e conseguiu chegar ao local no momento em que o trio fugia pelos fundos do salão. Os suspeitos reagiram à abordagem dos PMs e, ao tentarem fugir pelos telhados das casas, provocaram um intenso tiroteio que assustou a vizinhança. 
Um dos assaltantes foi atingido por pelo menos um tiro e foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde morreu no final da tarde. Ele não portava documentos e nem foi identificado oficialmente até o fechamento desta edição, mas fontes da PM atestam que ele seria um dos 76 detentos que fugiram recentemente do Presídio Regional Senador Leite Neto (Preslen), em Nossa Senhora da Glória (Preslen). 
Os dois acusados que estavam com ele - e também não portavam documentos - se renderam e foram presos em flagrante, sendo levados imediatamente à 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM), no Leite Neto. Com eles, foram apreendidos um revólver calibre 38 e uma pistola calibre ponto 40, usadas no confronto com a polícia. Alémdas armas, a polícia recuperou as joias, celulares, dinheiro e outros pertences que tinham sido tomados das vítimas que estavam no salão de beleza. 
"A ação deles foi muito violenta. Eles tomaram os pertences das vítimas com muita agressividade e sempre agiam dessa forma, inclusive fortemente armados", disse o comandante de Policiamento da Capital, coronel Vivaldy Cabral, que não descarta a possibilidade de que os três homens estejam envolvidos em outros assaltos ocorridos no Jardins e em outros bairros da zona sul. "Todos eles já têm passagem pela polícia. A gente pede à população que quem tiver mais informações ou foi vítima de algum assalto semelhante, que se dirija à delegacia para fazer o reconhecimento, para que eles possam responder também por esses eventuais crimes", apela Vivaldy.  
Os dois criminosos presos foram interrogados pelo delegado Everton Santos, da 1ª DM, que também investiga outros crimes atribuídos a eles. As vítimas do assalto ao salão também prestaram depoimento e recuperaram seus bens. O cerco ao salão foi feito por soldados da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran) e Grupamento Especial Tático de Ações com Motos (Getam), com participação do comandante-geral da PM, coronel Marcony Cabral, e seus auxiliares. Ele estava a caminho de um compromisso e foi um dos primeiros policiais a chegar ao local. 

Gabriel Damásio


Um criminoso morreu e outros dois foram presos por volta das 14h30 de ontem, após tentarem assaltar um salão de beleza na Avenida Ministro Geraldo Barreto Sobral, bairro Jardins (zona sul). De acordo com a polícia, os assaltantes chegaram a pé no estabelecimento, próximo ao Shopping Jardins,e usaram de violência e ameaças para render cerca de 15 pessoas que lá estavam, entre clientes e funcionários. A Polícia Militar foi logo avisada e conseguiu chegar ao local no momento em que o trio fugia pelos fundos do salão. Os suspeitos reagiram à abordagem dos PMs e, ao tentarem fugir pelos telhados das casas, provocaram um intenso tiroteio que assustou a vizinhança. 

Um dos assaltantes foi atingido por pelo menos um tiro e foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde morreu no final da tarde. Ele não portava documentos e nem foi identificado oficialmente até o fechamento desta edição, mas fontes da PM atestam que ele seria um dos 76 detentos que fugiram recentemente do Presídio Regional Senador Leite Neto (Preslen), em Nossa Senhora da Glória (Preslen). 

Os dois acusados que estavam com ele - e também não portavam documentos - se renderam e foram presos em flagrante, sendo levados imediatamente à 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM), no Leite Neto. Com eles, foram apreendidos um revólver calibre 38 e uma pistola calibre ponto 40, usadas no confronto com a polícia. Alémdas armas, a polícia recuperou as joias, celulares, dinheiro e outros pertences que tinham sido tomados das vítimas que estavam no salão de beleza. 

"A ação deles foi muito violenta. Eles tomaram os pertences das vítimas com muita agressividade e sempre agiam dessa forma, inclusive fortemente armados", disse o comandante de Policiamento da Capital, coronel Vivaldy Cabral, que não descarta a possibilidade de que os três homens estejam envolvidos em outros assaltos ocorridos no Jardins e em outros bairros da zona sul. "Todos eles já têm passagem pela polícia. A gente pede à população que quem tiver mais informações ou foi vítima de algum assalto semelhante, que se dirija à delegacia para fazer o reconhecimento, para que eles possam responder também por esses eventuais crimes", apela Vivaldy.  

Os dois criminosos presos foram interrogados pelo delegado Everton Santos, da 1ª DM, que também investiga outros crimes atribuídos a eles. As vítimas do assalto ao salão também prestaram depoimento e recuperaram seus bens. O cerco ao salão foi feito por soldados da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran) e Grupamento Especial Tático de Ações com Motos (Getam), com participação do comandante-geral da PM, coronel Marcony Cabral, e seus auxiliares. Ele estava a caminho de um compromisso e foi um dos primeiros policiais a chegar ao local. 


  • Perseguição a assaltantes termina com outra morte

 

Um assalto com as mesmas características mobilizou a polícia na mesma tarde e também terminou com a morte de um suspeito. Por volta das 15h, no Conjunto Bugio (zona oeste), três homens armados circulavam em um carro Renault Logan branco e roubaram uma loja de telefones celulares situada perto de um supermercado da rede G.Barbosa. Um soldado da PM que estava de folga desconfiou de um suspeito que estava parado em frente à loja e saiu de lá com os dois comparsas. O policial tentou render os criminosos, mas eles reagiram e dispararam várias vezes enquanto entravam no Logan e fugiam em direção à zona norte.

O militar não foi atingido e teve tempo de chamar o reforço dos colegas que estavam de serviço. A partir daí, as equipes do Getam, do CPMC e do Batalhão de Policiamento de Radiopatrulha (BPRp) entraram na perseguição, apoiadas por um helicóptero do Grupamento Tático Aéreo (GTA). O carro usado no crime foi achado em uma rua no bairro Lamarão (zona norte), às margens de um manguezal. De acordo com Vivaldy, os policiais entraram em uma casa abandonada e foram surpreendidos por um dos assaltantes, que tentou atingi-los com mais tiros. Os PMs revidaram e acertaram o agressor, que morreu a caminho do pronto-socorro do Huse. 

Os outros dois assaltantes conseguiram fugir do cerco policial. O Logan, por sua vez, foi apreendido e levado para a sede do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), no capucho (zona oeste), onde o caso foi registrado. O comandante do CPMC confirmou que o assaltante morto já era procurado pela polícia e costumava posar para fotos empunhando armas e objetos roubados. Assim como no caso do Jardins, ele não foi identificado até o fechamento desta edição.